Topo

Barroca reclama de arbitragem de jogo contra o Palmeiras: "Tirou o foco"

Eduardo Barroca reclamou da forma que o árbitro conduziu o jogo entre Botafogo e Palmeiras - VITOR SILVA/SSPRESS/BOTAFOGO
Eduardo Barroca reclamou da forma que o árbitro conduziu o jogo entre Botafogo e Palmeiras Imagem: VITOR SILVA/SSPRESS/BOTAFOGO

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

25/05/2019 19h30

O técnico Eduardo Barroca, após a derrota do Botafogo para o Palmeiras por 1 a 0, também fez críticas ao modo que o árbitro Paulo Roberto Alves Júnior, do Paraná, conduziu o duelo da tarde de hoje (25), no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O zagueiro Gabriel, na saída de campo, já havia feito duras reclamações.

Além dos dez cartões distribuídos ao Botafogo (Bochecha, que era reserva, e Flávio Tênius, preparador de goleiros, também foram punidos), a vitória do Verdão veio em um pênalti marcado com o auxílio do árbitro de vídeo. No segundo tempo, em uma disputa entre o zagueiro Gabriel e o atacante Deyverson, o palmeirense caiu na área e o árbitro marcou simulação, aplicando o amarelo. Pouco depois, ao analisar o lance no monitor, apontou a penalidade alegando um pisão de Gabriel.

"Eu não sou de reclamar de arbitragem, mas entendo que a forma como ele conduziu (o jogo) tirou o foco dos jogadores da partida. Inclusive comigo. A primeira vez que fui falar com ele, ele pegou o cartão e ficou me ameaçando. Entendo que as coisas devam ser desenvolvidas de outra forma. Hoje foi um dia atípico, que fique de lição para não perdermos o foco. Nosso objetivo é pontuar e levar o Botafogo para o topo da tabela", disse.

Barroca também salientou a dificuldade encontrada diante do líder do Campeonato Brasileiro e o fato de a partida, em que o Botafogo era mandante, ter acontecido longe do Rio de Janeiro.

"Foi um jogo muito difícil, contra uma equipe que lidera a competição, equipe muito bem treinada. Evidente que eu não estou satisfeito com o resultado. Sobre a possibilidade de trazer o jogo para cá, não sou a pessoa capacitada para falar já que não é algo decidido por mim. O Botafogo vem de uma sequência extremamente desgastante. Lutamos e os jogadores se dedicaram para buscar o empate", afirmou o comandante, que completou:

"Você precisa usar bola na frente nos confrontos. O Palmeiras foi muito feliz nesse sentido. Queríamos levar o jogo para a posse bola e o Palmeiras queria fazer o um contra um. Eles foram um pouco mais bem sucedidos, principalmente no primeiro tempo. No segundo, não. Criamos oportunidades, mas não foi suficiente. A confiança nos jogadores permanece alta. Enfrentamos uma equipe muito boa, muito qualificada. Lutamos o tempo todo, não estamos satisfeitos, mas precisamos ter a capacidade de absorver esse resultado e virar a chave para o próximo jogo".