Topo

VAR é aprovado por FPF, mas revolta palmeirenses na estreia no Paulista

Do UOL, em São Paulo

24/03/2019 04h00

O árbitro auxiliar de vídeo (VAR) estreou no Campeonato Paulista ontem com papel de protagonista. Usado em duas partidas das quartas de final, o sistema acabou duramente criticado pelo Palmeiras, que trocou farpas com a Federação Paulista de Futebol (FPF) após o empate por 1 a 1 com o Novorizontino, em Novo Horizonte.

A arbitragem recorreu ao VAR em um lance da partida disputada em Novo Horizonte, que resultou em pênalti para o time da casa. O árbitro de vídeo também auxiliou na anulação de um gol do Santos na vitória por 2 a 0 sobre o Red Bull, no Pacaembu.

Em ambas, não houve polêmicas em torno da marcação. O bate-boca entre Palmeiras e FPF ocorreu depois de os árbitros considerarem normal a origem do lance do primeiro gol do Novorizontino.

A bola bateu no braço ou na barriga?

Na reta final do primeiro tempo da partida entre Novorizontino e Palmeiras, o meia Murilo Henrique dominou uma bola na intermediária e, em seguida, arriscou um chute de longe. O goleiro Fernando Prass espalmou, e Cléo Silva marcou no rebote.


O árbitro Raphael Claus chegou a se comunicar com a equipe do VAR antes de autorizar o reinício de jogo e segundos depois validou o gol do Novorizontino. Para a equipe de arbitragem, a bola bateu na barriga do jogador.

Na interpretação do Palmeiras, Murilo usou o braço para ajeitar a bola. Depois do jogo, o gerente de futebol do clube, Cícero Souza, cravou que houve infração no lance. "É nítido na televisão que o Murilo gira seu corpo ajeitando a bola com o braço, se beneficiando", disse.

Nas redes sociais, a troca de farpa começou com a FPF. A entidade postou um vídeo do lance e garantiu que a jogada foi legal. O Palmeiras rebateu instantes depois ao afirmar que a "Federação defende o indefensável". Além disso, voltou a chamar o campeonato de "Paulistinha", como havia feito no ano passado após a final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians.

VAR auxilia árbitros em dois lances

Ainda no duelo Novorizontino x Palmeiras houve um pênalti marcado para o time da casa. Na etapa final, o VAR entrou em ação pela primeira vez no Paulista, após um cruzamento de Danielzinho interceptado pelo zagueiro Antônio Carlos. Claus consultou o árbitro de vídeo Thiago Duarte Peixoto e decidiu rever o lance à beira do campo. Menos de dois minutos depois, ele assinalou pênalti.

No confronto entre Santos e Red Bull, o VAR foi usado logo aos cinco minutos de jogo. O Santos conseguiu ir às redes, mas o gol foi anulado pela arbitragem, após consulta ao sistema, que acertou na marcação. No lance, Rodrygo serviu Diego Pituca à esquerda. O volante, que estava em posição de impedimento, tocou na saída do goleiro Júlio César. O árbitro Douglas Marques das Flores anulou a jogada pouco depois.

Palmeiras