PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pum de ex-palmeirense impressionou tanto que cartola colocou em biografia

EFE/EPA/MIGUEL A. LOPES
Imagem: EFE/EPA/MIGUEL A. LOPES

Marcus Alves

Colaboração para o UOL Esporte, de Lisboa (POR)

02/03/2019 04h00

Com o seu nome ligado a clubes como Sevilla e Shakhtar Donetsk, o lateral esquerdo Jefferson desembarcou no Sporting-POR no fim de maio de 2013. Um dos destaques do Estoril, o brasileiro que vinha de passagens por Palmeiras e Fluminense, entre outros, representava o início de uma nova era entre os portugueses acompanhando a chegada do então recém-empossado presidente Bruno de Carvalho.

Ao se sentar ao lado de Carvalho para a sua entrevista coletiva de apresentação, nem tudo ocorreu como esperado para Jefferson, no entanto. Com uma camisa polo chamativa e de frente para as câmeras, o brasileiro causou um embaraço ao soltar um pum estrondoso durante o evento.

O caso foi recordado pelo cartola no livro "Sem Filtro", que lançou neste mês para contar os bastidores dos seus cinco anos à frente do time de Lisboa. Ele foi destituído do cargo em assembleia dos sócios, no último mês de junho, depois de uma fase turbulenta que envolveu até o ataque de vândalos aos jogadores no CT da equipe.

O episódio com Jefferson, contudo, não fugiu da sua mente e abre o terceiro capítulo de suas memórias na obra.

"E, de repente, solta-se um gás. Alto e bom som. Com as câmaras apontadas, os microfones ligados e a sala cheia de jornalistas", narra Carvalho.

"Estava eu a apresentar o Jefferson como reforço do Sporting para a temporada 2013/14 quando se ouve aquele barulho. Sinceramente, o meu entusiasmo era tal que nem me apercebi. Afinal de contas, aquele era o primeiro jogador que contratava enquanto presidente do Sporting. Mas o momento, que teve tanto de embaraçoso como de hilariante", prossegue.

"Em suma, o Jefferson descuidou-se no dia em que foi apresentado no Sporting. Um daqueles acidentes que podem acontecer a qualquer um e que teve a sua piada. Certamente que ele jamais o esquecerá. Começava aí a história do Jefferson de leão ao peito. De uma forma original. E que todos puderam ver e ouvir", completa.

Confusão com agente de treinador

Desconhecido no Brasil, o baiano natural de Campo Formoso está no futebol português desde 2012. Após passar pelo Estoril, se saiu bem ao arrancar no Sporting sob o comando de Leonardo Jardim, atualmente no Mônaco, e superar dentro de campo a passagem constrangedora na apresentação.

As dificuldades começaram quando Jardim se transferiu para o time francês e foi substituído por Marco Silva na temporada seguinte. Um suposto conflito envolvendo o gerenciamento de sua carreira com o novo técnico, que virou padrinho de Richarlison e trabalha também com Bernard e Mina no Everton, brecou, então, o seu crescimento no Sporting.

"Um dia fui ter com ele (Marco Silva), já com o campeonato a decorrer, e falei-lhe numa situação da qual acabara de ter conhecimento. 'Temos aqui um problema. O empresário do Jefferson transmitiu-me que o Carlos Gonçalves (agente de Silva) ameaçou o jogador, dizendo-lhe que ou passava a ser representado por ele ou não voltava a ser titular do Sporting'", revela Bruno de Carvalho.

"Calado, o Marco ficou a olhar para mim e eu continuei: 'Para você se demarcar de tudo isto, aconselho-o a dizer ao seu agente que não faça qualquer acordo com o Jefferson. Que jamais, em tempo algum, feche com o Jefferson. Porque caso isso aconteça, Marco, acabou-se a confiança'", acrescenta.

"Posso dizer que nessa altura já não havia qualquer confiança, mas fiquei à espera de ouvir a sua reação. 'Não tenho nada a ver com o que o meu agente faz', respondeu. E voltei a alertá-lo: 'Não nos devemos meter no trabalho dos agentes, Marco? Se isso nos afetar, claro que sim. E algo se está a passar que o afeta diretamente. Se me dizem que deixa o jogador de fora por ordem do seu agente, então é porque está envolvido'", continua.

"Devo salientar que o Jefferson era um dos indiscutíveis na temporada anterior com Leonardo Jardim. Um lateral esquerdo que estava em boa forma. Antes disso, tinha realizado uma grande temporada no Estoril, clube onde foi orientado, precisamente, por Marco Silva. Ou seja: tratava-se de alguém que ele já conhecia. De um jogador que mereceu a sua total confiança na equipe que treinou antes de chegar ao Sporting. E que o Marco também estava a utilizar sempre nos nossos primeiros jogos. Mas, de repente, desaparece da equipe. Moral da história: Jefferson deixa de jogar, Jefferson muda para Carlos Gonçalves, Jefferson volta a jogar. Outra coincidência?", conclui.

Hoje com 30 anos, Jefferson segue vinculado ao Sporting, com contrato até 2020 e multa rescisória de 45 milhões de euros (R$ 185 milhões). Não quer dizer, no entanto, que a sua moral se encontre elevada com os torcedores, que, em sua maioria, preferem ver o argentino Acuña atuando improvisado pela esquerda do que tê-lo como titular.

Ao todo, o lateral esteve em 20 dos 40 jogos disputados pelo Sporting na atual temporada.

Futebol