PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Após Paulinho, Marcelo vê continuidade na seleção brasileira em risco

Lateral-esquerdo do Real Madrid está em baixa e tem sido reserva neste ano - Gabriel Bouys/AFP
Lateral-esquerdo do Real Madrid está em baixa e tem sido reserva neste ano Imagem: Gabriel Bouys/AFP

Bruno Grossi e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

28/02/2019 17h00

De astro no último ciclo de Copa do Mundo a criticado na Rússia e reserva no Real Madrid. A continuidade de Marcelo na seleção brasileira está ameaçada. Embora tenha recebido elogios de Tite, a convocação de hoje para os amistosos de março é mais uma prova de que o lateral-esquerdo já não é mais intocável no time canarinho.

Marcelo foi protagonista do Real Madrid nos últimos anos, sendo decisivo nos títulos de Liga dos Campeões da Europa. Na seleção, sob o comando de Tite, engrenou de vez e foi essencial nas Eliminatórias para a Copa de 2018, formando poderoso lado esquerdo com Neymar. O que se viu no Mundial do ano passado, porém, foi uma realidade muito diferente.

O lateral não repetiu as grandes atuações, sofreu com uma lesão nas costas e voltou ao time nas quartas de final contra a Bélgica sem conseguir manter o nível do reserva Filipe Luís. Recaíram sobre ele boa parte das críticas pela campanha brasileira na última Copa, ainda que o prestígio na Europa estivesse intacto.

Quando o novo ciclo de Mundial começou, entrou em um rodízio promovido pela comissão técnica para preservar as figuras mais batidas da seleção e dar espaço a novas apostas. Assim, ficou fora dos primeiros amistosos, contra El Salvador e Estados Unidos, e só voltaria a ter chances contra Argentina e Arábia Saudita ou nos embates contra Uruguai e Camarões.

O problema é que Marcelo precisou ser cortado nas duas datas Fifa que fecharam a última temporada, obrigando Tite a alterar um pouco o que havia sido planejado. Filipe Luís, que não enfrentaria Argentina e Arábia, ganhou sequência. O mesmo aconteceu com Alex Sandro diante de uruguaios e camaroneses. Os dois estão na lista divulgada hoje e, assim, mantêm 100% de aproveitamento nas convocações pós-Copa.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','https://www3.uol.com.br/gera-modulos/export/preview/embed-foto/2018/tite-substitui-paulinho-por-roberto-firmino-1529674602453.htm')

Essa dificuldade de Marcelo para se recolocar na seleção é semelhante à enfrentada por Paulinho. O volante foi até mais criticado no Mundial da Rússia e também entraria no tal revezamento pensado por Tite. Em tese, alternaria com Renato Augusto. E até foi chamado para um dos pares de amistosos de 2018. Mas a volta para o futebol chinês reforçou a rejeição sobre seu nome.

Em 2019, tanto Paulinho como Marcelo ficaram ainda mais "escondidos". O volante ainda nem sequer estreou com o Guanghzou Evergrande, enquanto o lateral-esquerdo já foi reserva mais vezes do que foi titular - foram 15 jogos à disposição no Real Madrid, sendo sete como titular e oito como reserva.

O titular da posição no clube espanhol tem sido o jovem Sergio Reguilón, criado na base do Real e que jogou apenas 17 vezes pela equipe profissional. De todas partidas em que foi reserva, Marcelo saiu do banco em apenas uma ocasião. 

Seleção Brasileira