PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Tolói supera perda de filho e vira 'Ministro da Defesa' no futebol italiano

Tolói marca Cristiano Ronaldo no duelo Atalanta x Juventus na Copa da Itália - Massimo Pinca/Reuters
Tolói marca Cristiano Ronaldo no duelo Atalanta x Juventus na Copa da Itália Imagem: Massimo Pinca/Reuters

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, de Lisboa (POR)

16/02/2019 04h00

Sem perder para outros concorrentes locais nesta temporada, Cristiano Ronaldo e a Juventus visitaram a Atalanta para tentar garantir uma vaga nas semifinais da Copa da Itália, no fim de janeiro. No fim das contas, tiveram de voltar de mãos vazias, com uma derrota avassaladora de 3 a 0 na bagagem e o craque português totalmente anulado pela marcação adversária. O responsável por isso? O camisa 2 dos donos da casa, Rafael Tolói.

Um lance foi repetido a exaustão ao fim da partida, ressaltando a inteligência de Tolói ao se antecipar a Ronaldo em um cruzamento e mostrando por que ele foi batizado pela torcida de 'Ministro da Defesa'.

Avesso a entrevistas, o seu sucesso pouco chega ao Brasil, mas, para se ter uma ideia da façanha protagonizada em Bérgamo, as últimas duas equipes que haviam conseguido o placar contra a Juve foram o Real Madrid, em 2018, e o Barcelona, em 2017. Mais do que isso: fazia cinco anos que os tetracampeões da Copa da Itália não perdiam qualquer partida na competição.

Sempre vibrante no gramado, o ex-defensor de São Paulo e Goiás entrou em campo naquele dia com um mau pressentimento que viria a se confirmar ao fim dos noventa minutos: a sua esposa, Flávia Tolói, havia sofrido um aborto espontâneo e perdido o bebê na gravidez. O casal esperava pelo segundo filho.

"Quero contar a vocês o que aconteceu comigo ontem. Como faço sempre antes dos jogos, liguei para a minha esposa e minha filha antes de ir para o estádio. Ontem, ao ligar, percebi que alguma coisa estava errada, conheço muito bem minha esposa e perguntei o que havia acontecido", contou, através de sua conta nas redes sociais.

"Minha esposa estava grávida de oito a dez semanas e ontem foi fazer exames de rotina, seria a primeira vez que escutaríamos as batidas do coração. Havia pedido para ela gravar o teste, mas ela não me mandou, disse que a bateria do celular havia descarregado. Comecei a pensar no que havia acontecido, mas ela não me revelou nada porque queria que eu me concentrasse 100% em campo", prosseguiu.

"Com todos pensamentos negativos rodeando a minha mente, eu tinha uma partida importante para jogar e falei para mim mesmo que, se alguma coisa de ruim aconteceu, o mínimo que poderia fazer é ajudar os meus companheiros a vencer e trazer um pouco de alegria para casa", acrescentou.

"Acabamos o jogo vencendo por 3 a 0 um dos principais times do planeta, tive uma noite mágica com meus colegas e torcedores, mas, ao vir para casa, recebi a notícia que temia, havíamos perdido o nosso bebê, uma dor e tristeza muito grande", completou.

O drama comoveu o futebol italiano e acarretou em manifestações de solidariedade de todos os lados para Tolói e sua família, que se encontram plenamente adaptados ao país. Eles desembarcaram na Atalanta em 2015, após São Paulo bater o martelo em negociação por R$ 14 milhões.

O zagueiro de 28 anos tem contrato até 2020, mas mantém conversas para renovar pelo menos por mais uma temporada. O seu discurso é de deixar o clube somente para retornar ao futebol brasileiro.

No radar da Premier League

Nas últimas janelas de transferências, Rafael Tolói esteve por mais de uma vez na alça de mira de clubes da Premier League, entre eles, o Fulham e o Tottenham. Em nenhuma das ocasiões, os acordos acabaram se concretizando, no entanto. O motivo do interesse passa por seu desempenho e o da Atalanta, que lutou pelas primeiras posições nos últimos três anos.

Em 2017, assegurou um histórico quarto lugar e a vaga na Liga Europa. No ano passado, ficou em sétima e mais uma vez entrou nas competições continentais. E agora se encontra novamente no páreo, ocupando o sexto lugar, ao lado de Roma e Lazio e somente a um ponto do Milan.

A excelente fase permite Tolói sonhar até mesmo com um espaço na seleção.

Auxiliar de Tite, o ex-lateral esquerdo Sylvinho reside na Itália e, no último giro de amistosos em novembro, ao comentar os nomes observados para a renovação da zaga brasileira, citou três que atuam na Série A: Marlon, do Sassuolo, Samir, da Udinese, e Luiz Felipe, da Lazio.

Em média, o destaque da Atalanta percorre 10,25 km por partida, um dado que, conforme escreveu o jornal La Gazzetta dello Sport, reforça o seu estereótipo de defensor moderno, mostrando segurança atrás e participando da construção dos ataques.

No último domingo, contra o Spal, Tolói completou o seu jogo de número de 125 pela equipe, com sete gols marcados e nove assistências distribuídas no período.

Futebol