Topo

Futebol


Não é só no Morumbi: Talleres limpa vestiários desde 2016

Talleres deixa vestiário do Morumbi limpo após eliminar São Paulo  - Reprodução/Twitter
Talleres deixa vestiário do Morumbi limpo após eliminar São Paulo Imagem: Reprodução/Twitter

Patrick Mesquita

Do UOL, em São Paulo

15/02/2019 04h00

O gesto de limpar o vestiário do Morumbi após eliminar o São Paulo da Copa Libertadores anteontem (13), fez com que o Talleres-ARG deixasse o Brasil com a simpatia de muitos torcedores. Só que a atitude, surpreendente para muitos brasileiros, é a mesma sempre que o time de Córdoba joga fora de casa.

Tudo começou em 2016: após sair de uma das piores etapas de sua história e disputar a terceira divisão argentina, o Talleres teve uma ascensão forte e selou o retorno à elite em uma partida contra o All Boys. Foi quando o elenco teve a ideia de limpar o local utilizado para os jogadores se trocarem.

Leia também
São Paulo anuncia volta de Cuca, mas terá Mancini como interino
"Boi do Piauí"? Qual a origem de protesto da torcida são-paulina
Talleres limpa vestiário do Morumbi, deixa presentes e agradece ao SPFC

"Decidiu-se que tínhamos que deixar o vestiário nas mesmas condições que havíamos recebido. Nenhuma festa ou situação justificava não deixar o local limpo e ordenado", afirma o diretor de comunicação do Talleres, Miguel Cavatorta, em entrevista ao UOL Esporte.

A limpeza se repetiu logo na primeira partida no retorno à elite do futebol argentino, diante do Racing. Desde então, não se trata de uma questão simplesmente educacional, mas de cultura implantada no clube. Fato é que a atitude foi elogiada até mesmo por são-paulinos. Muitos disseram que vão torcer para que o Talleres siga adiante na Libertadores.

"Agradecemos muito esse carinho e reconhecemos o sentimento. Pensamos que é uma resposta e reconhecimento de que esse gesto é portador de valores que o futebol necessita por ser uma ferramenta de inclusão e integração. Significa muito esse apoio e esperamos fazer jus a tamanho carinho", comenta o diretor.

Apesar de reconhecer que eliminar o São Paulo foi algo marcante, Cavatorta evita dizer se este foi o maior feito na história do clube.

"O mais justo é dizer que na história centenária do clube tivemos momentos muito significativos, como ser a primeira equipe de Córdoba a fazer uma turnê internacional e tivemos três jogadores para na seleção argentina campeã do mundo", conta.

Agora, o Talleres terá pela frente o Palestino, do Chile. Quem levar a melhor no confronto irá para a fase de grupos da Libertadores.

Futebol