PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians

Carille já conta mais com Sérgio Díaz do que com Romero no Corinthians

Sérgio Díaz passa em frente a Fábio Carille durante treino do Corinthians no CT Joaquim Grava - Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Sérgio Díaz passa em frente a Fábio Carille durante treino do Corinthians no CT Joaquim Grava Imagem: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

15/02/2019 12h00

Um é o artilheiro da Arena, o outro tem apenas 115 minutos com a camisa alvinegra; qual dos dois está em alta no Corinthians? As histórias dos paraguaios Ángel Romero e Sérgio Díaz mal são comparáveis no Parque São Jorge, mas as circunstâncias fazem Fábio Carille inverter prioridades e dar oportunidade ao mais jovem antes de usar o camisa 11.

As dores no joelho direito, crônicas, afastaram Díaz do campo durante 2018 quase inteiro. Na última temporada ele só participou de duas partidas do Brasileirão, entre setembro e outubro, sem destaque. Carille não o conhecia e acabou se tornando cético por causa do histórico do paraguaio, mas se convenceu do contrário na rotina de treinos.

"Considero que eu e minha comissão erramos por não inscrever o Sérgio Díaz no Campeonato Paulista", revelou o treinador ontem, após usar Díaz pela primeira vez, no empate por 1 a 1 contra o Racing Club (ARG). "As informações que tínhamos não eram boas, em relação ao joelho dele. Ele voltou a sentir um incômodo em um jogo-treino, então na inscrição eu deixei fora, mas ele está me agradando demais nos treinos. É um jogador que busca profundidade", aprovou.

O Corinthians ainda tem uma vaga disponível para inscrição no Paulistão, mas Carille não quer queimá-la agora. "Vamos esperar um pouco. Tem muita coisa acontecendo ainda, e ali na frente posso trocar", comenta, referindo-se aos quatro nomes que pode mudar caso o Corinthians se classifique às quartas de final.

O técnico não confirma, mas presumivelmente o erro foi ter inscrito André Luis e não Sérgio Díaz no Estadual. O primeiro perdeu espaço após iniciar o ano como titular, enquanto o segundo agora ganha elogios públicos. No meio desta história toda, Romero mal é lembrado.

Romero - Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians  - Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Romero treina com os companheiros, mas não joga enquanto não resolver pendência contratual
Imagem: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
A situação do camisa 11 no Corinthians ainda é uma novela sem final: ele tem contrato apenas até julho e sabe que não entra em campo enquanto não renovar seu vínculo - ou mudar de clube. Foi em meio à disputa entre diretoria e empresários que ele foi inscrito na Copa Sul-Americana, de forma surpreendente.

"Se você não inscrever os 30 [nomes], você perde. Se eu inscrever 28, depois só posso mudar em cima de 28", explica Carille, que desta forma só usou Romero para preencher espaço na relação. "Colocamos na expectativa de algo acontecer, mas não muda a conversa da direção com ele. Nós o inscrevemos sabendo que é uma situação difícil. Nem conto muito com ele, porque sabemos ser difícil", avisa.

Se estivesse à disposição, Romero poderia muito bem ser utilizado. Carille faz questão de ter um atacante de velocidade de um dos lados do campo, para alternar com um meia do lado oposto. "Pedrinho não é [este tipo de jogador]; Mateus Vital não é; Sérgio Díaz pode ser; Clayson eu sei que é", lista o técnico, sem citar Romero na relação, mas dando o benefício da dúvida a Díaz.

Juca comenta empate do Corinthians com o Racing: "Graças a Gustagol"

UOL Esporte

Corinthians