PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

SP vê cenário indefinido e não descarta saída de Jardine antes de clássico

Técnico tem apenas 15 jogos à frente do time profissional do Tricolor Paulista - Daniel Vorley/AGIF
Técnico tem apenas 15 jogos à frente do time profissional do Tricolor Paulista Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Bruno Grossi e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

14/02/2019 02h01

A queda precoce na Copa Libertadores da América pode interromper a trajetória de André Jardine no São Paulo. Nenhuma decisão foi tomada logo após a eliminação para os argentinos do Talleres, nenhum dirigente concedeu entrevista no Morumbi e apenas o próprio treinador apareceu para falar com a imprensa. Os rumos do clube serão discutidos na manhã de hoje, incluindo a permanência do técnico.

Jardine falou em coletiva que ainda não sabe se já chegou ao seu limite, mas que suportaria a pressão. O aproveitamento de apenas 33,3% em 15 partidas, desde o fim do ano passado, joga contra o comandante são-paulino. Bem como o mau desempenho do time na maior parte dos jogos de 2019. Bom futebol, seguindo os princípios do técnico, foi visto apenas nas duas primeiras rodadas do Campeonato Paulista.

O elenco do São Paulo tem reapresentação prevista para o período da tarde. Durante a manhã já devem ocorrer as primeiras conversas para debater o futuro do departamento de futebol, que também tem o diretor-executivo Raí pressionado pela torcida e sofrendo críticas internas de conselheiros.

A ideia é, pelo menos, começar se reorganizar na temporada antes do clássico de domingo, às 19h, contra o Corinthians. Neste primeiro semestre, o São Paulo só disputará agora o Paulistão e o Campeonato Brasileiro. A Copa do Brasil começa para o Tricolor apenas no segundo semestre.

A efetivação de André Jardine como técnico do time profissional aconteceu em novembro do ano passado. Antes, em março, havia sido tirado do time sub-20 para ser auxiliar técnico da equipe principal. A função foi ocupada durante a passagem de Diego Aguirre, seu antecessor no comando do São Paulo. Se for tirado do atual cargo, será preciso avaliar se Jardine seguirá como membro da comissão técnica fixa.

São Paulo