PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como Raí e Leco justificam as críticas à gestão do São Paulo

Raí e Leco são as principais figuras da diretoria do São Paulo desde o fim de 2017 - Divulgação/Rubens Chiri
Raí e Leco são as principais figuras da diretoria do São Paulo desde o fim de 2017 Imagem: Divulgação/Rubens Chiri

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

14/02/2019 19h09

A entrevista coletiva de anúncio de Cuca como novo técnico do São Paulo serviu também para explicações da diretoria sobre o mau momento do clube. Tanto o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva quanto o diretor-executivo de futebol Raí assumiram responsabilidades pela crise, mas os dois diferem um pouco na hora de uma auto-crítica.

Para Leco, a atual gestão é criticada porque não consegue atingir resultados dentro de campo. Os insucessos esportivos, segundo o presidente, é que afetam a imagem de seus mandatos - o primeiro, de outubro de 2015 a abril de 2017, e o segundo, de abril de 2017 até agora, com validade até novembro de 2020.

Essa visão foi compartilhada pelo presidente na última pergunta da coletiva, que serviu para questionar quais os principais erros da gestão. "Não ter os resultados do futebol como o torcedor deseja e merece pela história do São Paulo. Não destaco um erro pontual. Mas sim o fato de não alcançar os resultados no futebol, como necessitado. Esse é o grande ponto", disse Leco, que ainda contemporizou as oito trocas de técnico durante seus mandatos:

"Não importa o número, importa o conceito. Mas infelizmente é um dado que compõe o processo, porque no futebol o resultado é o que conta, é o que determina as coisas. É inegável, todos conhecem. Gostaria de ter um técnico de outubro de 2015 até aqui. Mas para isso teríamos de ter conquistado. Não é só culpa dos técnicos, é uma responsabilidade de todos".

Raí foi um pouco mais crítico ao analisar o próprio trabalho, que começou na diretoria de futebol em dezembro de 2017. Cuca já é o quarto treinador sob seu comando e o time viveu seus melhores momentos no Campeonato Paulista e no Campeonato Brasileiro do ano passado. O ídolo admite que também deve ser julgado pelos resultados, mas lembra que também cometeu erros nos "caminhos" que levam aos resultados.

"Um bom trabalho será quando o São Paulo conquistar títulos. Sem dúvida nenhuma tive acertos e erros. Vamos esperar meu período para ver se consigo ajudar a trazer títulos. Estou bastante confiante, vou continuar me dedicando, tentando dar tudo de mim. Os (problemas estão nos) resultados e os caminhos para chegarmos a eles. Não conseguimos ainda achar um caminho ideal. Ou pelo menos próximo ao ideal. Não tivemos uma grande performance para chegar perto dos títulos. Precisamos trabalhar, ver essa mudança de rota para ter mais chances de chegar a essas conquistas", avaliou o ex-jogador.

PVC critica dirigentes do São Paulo na demissão de Jardine

UOL Esporte

Futebol