PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras apresenta time feminino, mas terá sede a 75 km de SP

Palmeiras apresenta time de futebol feminino - Divulgação/Twitter
Palmeiras apresenta time de futebol feminino Imagem: Divulgação/Twitter

Danilo Lavieri e Renata Mendonça

Do UOL, em São Paulo

13/02/2019 13h45

O Palmeiras apresentou, nesta quarta-feira (13), a sua equipe de futebol feminino. O time será responsável por pagar os salários das atletas e da comissão, pelo fornecimento dos uniformes e materiais e pela logística. As garotas, no entanto, terão Vinhedo, cidade no interior de São Paulo, como sede, e só usarão as mesmas instalações dos jogadores profissionais de maneira esporádica.

O município fica a 75 quilômetros de distância da capital e ficará responsável por ceder as instalações para treino e jogos. O acordo é válido por apenas um ano. Segundo o diretor de futebol feminino, Alberto Simão, a escolha de usar outro local foi dele e da comissão. São Paulo, Corinthians e Santos, em contrapartida, cederam as suas instalações para as jogadoras.

O Alviverde disputará a série A2 do Brasileirão e herdou boa parte dos profissionais que estavam na Ponte Preta, que também teve parceria com o Audax recentemente para a disputa da Libertadores. A técnica Ana Lúcia Gonçalves e a maioria do elenco representaram o time de Campinas na última temporada.

"O Palmeiras optou por montar a sua equipe, por ter um projeto. Estamos trabalhando há um tempo na prospecção de atletas, especialmente no mercado internacional. A estrutura do Palmeiras está à disposição do nosso projeto, mas foi nossa opção e da comissão que a gente tivesse um local diferente neste primeiro momento, para desenvolver tudo. Vamos poder usar a estrutura em alguns treinos, mas a comissão acho melhor ter uma base fixa neste momento", afirmou Alberto Simão.

Ter um time feminino é uma das exigências da Conmebol para os times que estão na disputa da Libertadores em 2019. A lei passou a valer para esta temporada e forçou diversos clubes a darem atenção para as garotas.

O diretor executivo, Alexandre Mattos, afirmou que a lei acelera a implantação da categoria, mas disse que o Alviverde já pensava nisso antes da obrigatoriedade.

"Todos que trabalham com esporte, e eu me incluo nisso, são culpados. A gente tenta reparar o erro agora. Claro que a obrigatoriedade te faz tirar do papel, te impulsiona. Mas a gente está aqui para criar um projeto, para evoluir, enfrentando os problemas que a gente sabe que vai ter. Poderíamos pegar uma equipe pronta e só colocar a camisa, mas não é o que queremos", afirmou.

A escolhida para falar em nome do elenco foi a atacante Carla, que chegou a "desafiar" Felipe Melo para uma dividida. Ela não escondeu o nervosismo de falar com a imprensa.

"Meu negócio com o Felipe é dentro de campo (risos). Estou muito feliz por fazer parte do Palmeiras, é um grande time. Eu recebi a proposta, poderia ir para a China também. Mas conheço o trabalho da Ana e vê-la sendo técnica de um grande time fez eu esquecer a China e querer trabalhar no Brasil, no Palmeiras. A gente vai se preparar muito bem para ter grandes resultados. A gente espera dar o nosso melhor dentro de campo e trazer bons resultados. É normal tremer quando está aqui? A camisa tá mexendo sozinha", brincou.

Futebol