PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Falso funcionário oferece vaga no CSA a mulheres em troca de fotos íntimas

Golpista oferece vaga entre líderes de torcida ou como musa em troca de fotos - Reprodução
Golpista oferece vaga entre líderes de torcida ou como musa em troca de fotos Imagem: Reprodução

Bruno Fernandes

Colaboração para o UOL, em Maceió (AL)

13/02/2019 04h00

Em golpe via WhatsApp, uma pessoa tem se passado por integrante do setor de marketing do CSA-AL para pedir fotos íntimas a torcedoras. O suposto funcionário oferece uma vaga no grupo de líderes de torcida ou como nova musa do clube. Para isso, solicita que as mulheres enviem imagens de biquíni ou lingerie para "serem avaliadas".

No golpe, o suposto funcionário envia o que seria um portfólio de seu trabalho e apresenta fotos da página oficial do CSA. Ele utiliza um número telefônico pertencente a uma empresa de São Paulo - segundo a Polícia Civil, o aparelho pode teria sido clonado.

O delegado Thiago Prado, responsável por investigar crimes cibernéticos no estado, informou ao UOL Esporte que cinco mulheres registraram boletins de ocorrência na última semana e que as investigações podem levar até três meses para serem concluídas.
 
Ainda segundo o delegado, as vítimas não chegaram a enviar fotos íntimas ao suposto funcionário. Teriam percebido se tratar de um golpe e acionaram a polícia. 

"Quando houver esse tipo de conversa, nós alertamos para ter cuidado e não enviar fotos deste tipo para qualquer pessoa. Os criminosos usam isso para extorquir a vítima no futuro. Caso não consigam o que é desejado, divulgam as fotos na internet", disse o delegado.

Presidente do CSA, Rafael Tenório disse ao UOL Esporte que "o golpista não passa de uma pessoa que não tem nada melhor pra fazer e quer prejudicar o time". Ainda afirmou que a diretoria, por enquanto, não pretende abrir uma investigação interna por considerar que "as informações passadas são muito genéricas".
 
"Podemos ajudar a montar alguma isca junto com a polícia para pegar esse sujeito, mas não vamos nos meter nesse problema", comentou Tenório.
 
Gerente de marketing, Rodrigo Cortez ressaltou que o CSA não realiza seleções via WhatsApp e que todo tipo de campanha é feito através das redes sociais oficiais do clube.

"Tudo que fazemos é informado de forma oficial pelas nossas redes. Vamos nos reunir com o setor jurídico do clube para saber o que fazer quanto ao responsável por esse número", informou.

A reportagem ainda entrou em contato com a empresa proprietária pelo número telefônico utilizado no golpe. A companhia, que atua no ramo de contabilidade na capital paulista, afirmou não estar ciente da situação e que investigaria internamente o caso.

Futebol