PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Ex-Fla faz campanha e reúne mais de 200 denúncias de precariedade na base

Alojamento das categorias de base de time da Primeira Divisão do Rio - Reprodução / Instagram
Alojamento das categorias de base de time da Primeira Divisão do Rio Imagem: Reprodução / Instagram

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

13/02/2019 04h00

Revelado nas categorias de base do Flamengo, onde ficou por 11 anos, o ex-goleiro Getúlio Vargas ficou abalado com o incêndio no CT Ninho do Urubu que matou dez adolescentes e resolveu criar uma campanha em seu Instagram onde reuniu fotos de alojamentos pelo Brasil em condições precárias. As imagens foram enviadas por atletas de diversas divisões do futebol do país e também de outros esportes.

As postagens são impressionantes. Há fiações soltas, falta de ventilação, gambiarras e até um time da Série A2 do Campeonato Paulista que precisou dormir no ônibus pois o clube não tinha dinheiro para pagar a hospedagem em um hotel.

Goleiro Getúlio Vargas, ex-Flamengo e Duque de Caxias - Divulgação - Divulgação
Ex-goleiro Getúlio Vargas passou 11 anos na base do Flamengo
Imagem: Divulgação

"Eu não quero fazer nenhum juízo de valor sobre de quem é a culpa. Os órgãos que vão julgar e resolver. Cada um que assuma sua parcela porque dez vidas foram perdidas. O Flamengo, de todos que conheço, é um dos que têm as melhores estruturas, mas o que vemos, de fato, no futebol brasileiro é um verdadeiro descaso. Está tudo subvertido", desabafou ao UOL Esporte.

A sacada de realizar a campanha para reunir fotos de alojamentos em condições precárias, segundo ele, foi uma forma de mostrar que há situações ainda piores pelo Brasil e que ficam longe dos holofotes das autoridades.

"Vamos começar a puxar esse fio de lã pois não aconteceu nada em outros lugares ainda porque papai do céu está abençoando", alertou.

Mais de 200 fotos enviadas por atletas

Jogadores de clube da Série A2 do Paulistão dormem no ônibus - Reprodução / Instagram - Reprodução / Instagram
Jogadores de clube da Série A2 do Paulistão dormem no ônibus
Imagem: Reprodução / Instagram

Criada recentemente, a campanha fez com que Getúlio Vargas já recebesse mais de 200 fotos de atletas de categorias de base. O ex-goleiro, no entanto, prefere não expor o nome dos clubes e nem dos atletas.

"Eles (atletas) têm encarado com uma válvula de escape (a campanha). No início ficaram meio reticentes, mas agora eu já tenho mais de 200 imagens. E eu não vou expor da forma como eles querem. São garotos com 15 anos, estão no calor da emoção, mas eu não vou expor uma criança. Vou prejudicar muito mais do que ajudar. Não quero expor clube, jogador, quero apenas mostrar a realidade. A minha intenção não é comprar briga, não é levantar bandeira e nem fazer marketing, até porque nem tenho tempo para isso. Minha ideia é começar a mostrar para as pessoas que a coisa é muito mais feia do que se imagina", declarou.

Getúlio, Felipe Mello e Ibson já fizeram "gambiarra" na base 

Da mesma geração de Felipe Melo, Ibson, André Bahia, entre outros, Getúlio Vargas revelou já ter passado por concentrações em condições adversas em torneios pelo interior do Brasil na época das categorias de base do Flamengo.

Após a tragédia no CT Ninho do Urubu, o ex-goleiro informou que o assunto foi tema num grupo de Whatsapp que os jogadores de sua época mantém.

"Temos um grupo de Whatsapp onde estou eu, Felipe Melo, Ibson, André Bahia, entre outros. A gente lembrou que passou por situações piores naqueles campeonatos que são disputados no interior. Nunca deu uma m... por sorte. Teve uma vez uma situação que o ar estava bloqueado. Nós  com 14, 15 anos e tinha um garoto que puxou um fio do ventilador de teto pra fornecer energia ao ar na parte da tarde e ele ligou. Nós éramos adolescentes, não pensamos muito, fomos inconsequentes. Graças a Deus não aconteceu nada", se recordou.

Getúlio Vargas, hoje com 36 anos, estava até o ano passado como comentarista do Esporte Interativo. Ele também realiza a palestra "Existe vida após a bola".

Flamengo