PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Love, Boselli e Sornoza juntos? Como Carille vê Corinthians após 9 reforços

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

29/01/2019 12h00

Nove reforços, nomes de peso e uma realidade bem distinta em relação às duas temporadas passadas. Diante das opções e da versatilidade de jogadores trazidos pela diretoria do Corinthians, o técnico Fábio Carille pretende repetir estratégias que resultaram em títulos nos últimos anos.

Em quatro jogos disputados em 2019, incluindo o amistoso contra o Santos, o treinador já deu mostras de como pretende escalar o time alvinegro. Carille dá prioridade à montagem de uma equipe com dois meias de criação e dois atacantes, um mais móvel, aberto e veloz, e outro na área, próximo ao gol, como um centroavante.

Como fez na temporada de estreia como técnico, Carille escolheu o mesmo esquema tático. No 4-2-3-1, o comandante corintiano idealizou um time com Sornoza e Jadson na criação. Foi dessa forma que o Corinthians enfrentou o Santos durante 62 minutos no amistoso que abriu 2019. A dupla voltou a ser titular no empate por 1 a 1 com o São Caetano e na derrota por 2 a 1 para o Guarani.

Nesses duelos, Gustagol atuou como centroavante, com André Luis pela direita do ataque. Com a chegada de Love e a estreia de Boselli diante da Ponte Preta no último sábado, a tendência é que a o atacante argentino seja escalado na área, com Love livre para circular pelos lados e até auxiliar nas jogadas por dentro.

"Ele pode fazer até quatro funções. Pode jogar pela direita, pode jogar atrás do [camisa] nove, como jogou no Flamengo com o Adriano, pode jogar de nove como jogou aqui e em vários clubes e pode jogar pela esquerda também", disse Carille em entrevista concedida ao UOL Esporte na última quinta-feira (24).

No time carioca, Love atuou próximo a Adriano no ataque, com o meia Vinícius Pacheco na criação. Em 2010, o atacante foi, inclusive, responsável pela queda corintiana na Libertadores ao marcar um gol que levou o Flamengo às quartas de final da competição - o time paulista venceu por 2 a 1 no Pacaembu, com Carille no cargo de auxiliar técnico, mas foi eliminado por causa do gol rubro-negro marcado fora de casa.

Carille - Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians  - Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Carille ganhou muitas alternativas depois do anúncio de nove reforços do Corinthians
Imagem: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

A ideia já deu certo

Os planos de Carille se assemelham ao estilo de jogo do Corinthians nas duas últimas campanhas vitoriosas do Brasileirão. Em 2015, com Tite, a equipe tinha dois meias criativos: Renato Augusto e Jadson. Juntos no 4-1-4-1, eles compuseram a linha formada atrás de Love, o centroavante naquela ocasião - Elias e Malcom atuavam nela, também.

Em 2017, com o próprio Carille no comando técnico, Jadson e Rodriguinho foram escalados lado a lado, no 4-2-3-1. Para manter a solidez defensiva, o técnico utilizou dois volantes (Gabriel e Maycon) e ainda optou por Romero aberto à esquerda, com um papel importante também na marcação pelo setor.

Agora, ao contrário desses dois exemplos, Jadson, aos 35 anos, atuará centralizado e não mais aberto à direita, com a incumbência de acompanhar o lateral esquerdo rival. Sem essa tarefa, o camisa 10 fica livre para criar jogadas para os atacantes. O antigo papel pode até ser desempenhado até por Sornoza, embora o equatoriano tenha iniciado 2019 à esquerda.

"Tive uma conversa com ele. Ele jogou bastante ali pela esquerda, disputou uma Libertadores pelo Del Valle jogando aberto no lado direito. É um jogador que pode fazer quatro ou cinco funções, então estamos ajustando para saber o que é o melhor para ele dentro do time", afirmou Carille.

Existe ainda a possibilidade de o treinador escalar Ramiro mais à frente, justamente nessa linha de três ofensiva. A tendência, porém, é que o ex-gremista seja aproveitado como segundo volante, ao lado de um cabeça de área (Ralf, Gabriel ou Richard). Já Thiaguinho e Renê Júnior disputarão posição com Ramiro.

Carille ainda tem uma boa opção para a vaga de Jadson no meio-campo: Mateus Vital, que iniciou o duelo contra a Ponte como titular. Nas pontas, há alternativas em abundância: além de Sornoza e Love, os seguintes atletas também podem desempenhar tal função: Pedrinho, Sergio Díaz, Clayson, André Luis, Gustavo Silva e Marquinhos. No comando do ataque, Gustagol, autor de três gols em 2019, promete esquentar a disputa com Boselli.

Desde o fim do ano passado, o Corinthians já anunciou nove reforços: o lateral direito Michel Macedo, o zagueiro Manoel, os volantes Richard e Ramiro, o meia Sornoza e os atacantes Gustavo Silva, André Luis, Boselli e Vagner Love. O clube ainda busca a contratação do lateral esquerdo Guilherme Arana.

Futebol