PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Carille vê Romero distante e diz que diretoria definiu futuro de G. Augusto

Arthur Sandes e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

29/01/2019 04h00

Romero não deve mesmo mais vestir a camisa do Corinthians. Fora dos planos do clube enquanto o imbróglio em torno da sua renovação de contrato prossegue, o atacante paraguaio é visto pelo técnico Fábio Carille como um caso complicado para reverter. 

Em entrevista concedida ao UOL Esporte na última quinta-feira (24), o treinador corintiano também falou sobre o meia Giovanni Augusto, que vive situação ainda mais complicada ao treinar em horários alternativos no CT Joaquim Grava. 

Leia também

Questionado sobre Romero, Carille ressaltou a importância do atacante para o time e citou que o atleta "conhece a forma de jogar no Corinthians". Além disso, apesar de toda a situação atual, o treinador acredita que o paraguaio não deixará o clube pelas portas do fundo, caso não entre mesmo mais em campo com a camisa corintiana.

"[A renovação] vem sendo discutida há muito tempo. Antes mesmo de eu sair para a Arábia [Saudita] o Corinthians já estava procurando o Romero para uma possível renovação, mas o negócio não andou. Agora chegou num caso que está bem difícil, não vou dizer impossível, mas, pelo que escuto, está bem difícil. Vamos esperar", disse Carille.

Romero - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Atacante Romero treina à parte no CT Joaquim Grava no começo da atua temporada
Imagem: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

"Cada um toma decisão que quer. Muita gente falou que eu saí pelas portas do fundo também, da forma que saí [para o Al-Wehda]. Tem de ver aquilo que é melhor para você. Se ele está tomando essa decisão, é porque tem a possibilidade de outras coisas na vida dele. Cada um tem de fazer aquilo que é melhor para você", completou.

Romero chegou ao Corinthians em junho de 2014 e assinou contrato de cinco anos com o clube paulista na ocasião. O atleta soma 222 jogos pelo time alvinegro, com 38 gols marcados e quatro títulos conquistados.

Caso Giovanni foi resolvido pela diretoria

Conhecido por tentar recuperar jogadores em baixa, Carille ressaltou que seguiu uma determinação da diretoria corintiana em relação ao retorno do meia Giovanni Augusto. O departamento de futebol do clube, segundo o treinador, definiu o futuro do jogador.

Comprado pelo Corinthians em 2016 por 3 milhões de euros (R$ 13 milhões na cotação da época), Giovanni Augusto perdeu espaço no time na temporada 2017. No ano seguinte, com Carille no comando técnico, o jogador foi emprestado ao Vasco. O contrato entre ele e o clube paulista acaba em dezembro próximo. 

"Eu tentei [recuperá-lo]. O Giovanni foi muito importante na reta final do Campeonato Brasileiro [de 2017], fazendo um gol lá em Curitiba contra o Athletico num momento muito decisivo. Há outras questões. Eu sou funcionário do clube e tenho de escutar a diretoria também. Ele já estava fora do grupo desde o início. A gente acatou e não conta com ele para a temporada", explicou o treinador.

A situação do lateral esquerdo Danilo Avelar também foi analisada por Carille. Criticado por torcedores desde o fim do ano passado, o atleta é visto de outra forma. Para o técnico, o jogador, cujo empréstimo se encerra em julho, irá se desenvolver à medida que a equipe do Corinthians mostrar mais entrosamento.

"É um jogador que está mostrando no dia a dia qualidade. Num período do ano passado, o time meio que se perdeu como um todo. Tanto que o Henrique [zagueiro] foi criticado também e tinha ido bem comigo no primeiro semestre. Estou gostando [do Avelar], está passando. Ele é o jogador que mais cruza do nosso time, que chega com qualidade. O time vai se ajustando e faz todo mundo crescer", frisou Carille.
 

Futebol