PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rivalidade divide até pub na Inglaterra e complica ida ao banheiro

Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Imagem: Caio Carrieri/Colaboração para o UOL

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Liverpool (ING)

23/01/2019 04h00

Em Liverpool, berço dos atuais líderes da Premier League, a rivalidade local divide até pub. No caso do The Orient, bar em Speke, no subúrbio, a segmentação chega a ser física para agradar as duas metades apaixonadas da cidade: a vermelha, dos donos da dianteira do campeonato, e a azul, do arquirrival Everton, 11º colocado.

Os dois ambientes do pub são divididos igualmente em espaços dedicados aos dois clubes, decorados com bandeiras, cachecóis e imagens históricas no salão principal. Na parte anexa, duas mesas de sinuca mantêm o padrão: uma tem o pano vermelho e a outra, azul.

A paixão dos torcedores, principal motivo por trás da ideia do adornamento, já rendeu histórias curiosas, como conta Mike Kelly, 54 anos, proprietário do estabelecimento.

The Orient, em Liverpool - Caio Carrieri/Colaboração para o UOL - Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Imagem: Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
"Tínhamos um cliente assíduo, John, fanático pelo Everton que infelizmente morreu anos atrás, que protestou porque não conseguia ir ao banheiro, já que teria de passar pelo Bill Shankly Gate", relata em alusão à réplica do portão histórico de Anfield em homenagem a um dos maiores treinadores do Liverpool e que carrega o famoso lema dos Reds, 'You will never walk alone' ('Você nunca caminhará sozinho'). "Depois de alguns pints de cerveja, ele não teve saída e precisou fazer o caminho, mesmo que contra a própria paixão".

Em dias de jogos, John exigia que o telão fosse recolhido imediatamente após as partidas. Não porque os Toffees amargavam uma fase tenebrosa e ele tentava mudar o foco após o apito final. "Ele queria admirar a parede do Everton, que fica encoberta toda vez que abrimos a tela para projetar os jogos", relembra Kelly, torcedor do Liverpool.

Dono do local desde meados dos anos 90, ele idealizou a separação por cores há cerca de dez anos, depois de um ato espontâneo de um aficionado do Liverpool, que colou um adesivo do clube no caminho de saída do pub. A partir de então, os fregueses começaram a marcar território em cada lado do bar ao pendurar os próprios artigos. Em seguida, Kelly aperfeiçoou o plano e investiu na pintura, que atualmente carece de manutenção.

Dono do bar - Caio Carrieri/Colaboração para o UOL - Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Imagem: Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Embora a clientela atual seja muito mais do bairro, afastado dos estádios dos arquirrivais e de atrações sobre os Beatles, os principais passeios turísticos de Liverpool, Mike Kelly diz que o conceito fomentou a gozação amigável entre os locais. Com quatro pontos de vantagem sobre o vice-líder Manchester City a 15 rodadas do fim, ele sonha com um convidado especial para a festa do título, caso os Reds terminem a competição na ponta e acabem com uma seca de 29 anos desde o último título inglês.

"Seria fantástico poder tomar uma cerveja no meu pub com (o técnico) Jürgen Klopp. Sei que ele gosta de festa e isso vai ter de sobra se formos campeões", diz, ao mesmo tempo que toca o balcão de madeira três vezes.

Futebol