PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dois anos depois, rótulo de "quarta força" ainda é assunto no Corinthians

Polêmica volta à tona dois anos após marcar ano vencedor no Corinthians  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Polêmica volta à tona dois anos após marcar ano vencedor no Corinthians Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

23/01/2019 12h00

Muita coisa mudou no Corinthians nos últimos dois anos, menos o incômodo com o carimbo de "quarta força". Mesmo três títulos após a discussão fazer barulho no futebol paulista, o rótulo ainda é assunto não só entre os torcedores, mas até dentro do próprio clube. A polêmica voltou à tona em pelo menos três momentos neste início de 2019.

O episódio mais recente aconteceu no último domingo (20), durante a estreia corintiana no Campeonato Paulista. Um torcedor levou à Arena uma bandeira na qual estava escrito "a quarta força voltou", uma referência ao time que foi campeão estadual e brasileiro em 2017, ano da frase polêmica - a bandeira em questão saudava o reforço Mauro Boselli, que inclusive tirou foto com ela (veja acima).

A "quarta força", no entanto, já tinha sido assunto antes disso. O primeiro a relembrar o caso foi o volante Richard, um dos oito reforços anunciados pelo Corinthians. Logo em sua apresentação no CT Joaquim Grava, no último dia 4, ele citou o rótulo quando questionado sobre a necessidade de priorizar algum torneio nesta temporada. "Não tem essa de quarta força, tem que priorizar tudo, sempre, ser campeão. Tem que viver de título esse clube", disparou na ocasião, para a surpresa dos jornalistas presentes.

Dias depois foi a vez dos dirigentes Emerson Sheik e Vilson Menezes, que foram apresentados juntos como novo coordenador de futebol e novo gerente de futebol do Corinthians. O ex-atacante falava sobre o investimento do clube em relação ao de adversários como Palmeiras e Flamengo, tidos como milionários no mercado da bola.

Sheik ironiza rótulo de "quarta força" dado ao Corinthians

Band Esportes

"Eu super concordo, acho que o Corinthians nos últimos dez anos vem sendo a quinta, sexta força; zebra. Só que nos últimos dez anos a quinta força foi campeã do mundo, da Libertadores, de Brasileiro, Paulista, Recopa? tem mais? São tantos", brincou Emerson Sheik, para quem "o resultado tem sido bom, então deixa ser zebra". Mesmo Vilson, de personalidade avessa a polêmicas, entrou na onda. "Tem clube aí que reforça muito, mas o que resolve mesmo é nas quatro linhas", acrescentou.

A polêmica da "quarta força" surgiu no início de 2017, quando comentaristas de TV elencaram Palmeiras, São Paulo e Santos acima do Corinthians em uma espécie de ranking dos times mais fortes do estado. A comparação mexeu com o brio do elenco alvinegro, que prometeu dar a resposta no campo e cumpriu. Até Carille fez piada com o rótulo, e Kazim fez uma tatuagem com a fraseapós o heptacampeonato brasileiro. Dois anos depois não há tamanha descrença em torno do Alvinegro, mas o clima interno é parecido.

Corinthians era "quarta força" em 2017? Números provaram que não

UOL Esporte

Futebol