PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Região que avião de Sala desapareceu é perigosa: "sem paralelo no Brasil"

Elyxandro Cegarra/NurPhoto via Getty Images
Imagem: Elyxandro Cegarra/NurPhoto via Getty Images

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

22/01/2019 18h55

As condições climáticas de voo no Canal da Mancha, região entre Inglaterra e França onde o avião com o jogador Emiliano Sala desapareceu na última segunda-feira, podem se tornar tão complicadas que não há paralelo com o que existe no Brasil, afirmou o engenheiro Aeronáutico Shailon Ian. O especialista acrescentou que os parâmetros do voo que partiu de Nantes (França) com destino a Cardiff (País de Gales) sugerem que o mau tempo é um fator que contribuiu com o provável acidente.

"Um monomotor a noite no inverno do Hemisfério Norte. A gente não tem a experiência similar, é sem paralelo no Brasil. O pior que a gente pode imaginar (de más condições) não é o que eles passam. Vento, chacoalhões, tempestade".

Ian, que foi tenente da Força Aérea Brasileira, ressaltou que o tempo pode mudar muito rápido no Canal da Mancha. As informações do site especializado aviation-safety.net sugerem que isto aconteceu. Depois de decolar às 20h30 de Nantes, o avião voou a altitude de 5 mil pés (1,5 mil metros). Antes do desaparecimento, o piloto pediu para diminuir para 2,3 mil pés (700 metros). Depois, somente silêncio.

O engenheiro ressaltou que as condições climáticas mudam muito rápido na região e contou que é muito raro um monomotor ser certificado para voar por instrumentos. Ele diz que o mais provável é o piloto ter descido para buscar melhor visibilidade, pode ter ocorrido perda de referência de horizonte e a aeronave mergulhou no mar. 

O escritório de meteorologia da Inglaterra informou que no momento do desaparecimento do avião havia ventos de até 32 km/h. Mas o tempo muda rápido na região e mais tarde as buscas foram interrompidas temporariamente por causa das condições climáticas. O responsável pelas buscas está pessimista.

"Não estamos esperando encontrar ninguém vivo. Não acredito que a guarda costeira esteja. Nós simplesmente não sabemos como (o avião) sumiu. Ele desapareceu completamente, não houve conversa no rádio" disse John Fitzgerald, chefe das buscas no Canal da Mancha.

O avião em que Emiliano Sala voava é um Piper PA 46 Malibu, monomotor a pistão com turbocompressor que tem capacidade de fazer viagens com pressurização. O canal da Mancha já foi palco de vários acidentes com aeronaves de um único motor. O músico Glenn Miller está entre as vítimas.

Pai do atacante está desesperado

O jogador argentino foi comprado pelo Cardiff por 15 milhões de libras (R$ 74 milhões). Sala se credenciou a custar este valor ao anotar 12 gols em 19 partidas do Campeonato Francês. O atacante ainda marcou uma vez na Copa da França. 

O seu último post no Instagram foi uma foto com os companheiros de time dizendo tchau. O clube proibiu que o elenco dê entrevistas. O desaparecimento e a comoção que o caso causa levou ao adiamento do jogo que o Nantes faria nesta quarta-feira contra o Entente SSG, pelas oitavas de final da Copa da França.

O pai do atleta, Horacio Sala, está desesperado com a falta de informações. O último registro do avião no radar ocorreu a cerca de 20 quilômetros da Ilha Guernesey.

"Não há novidade. Estou desesperado. Ninguém me ligou e eu descobri pela televisão. Eu estou em Rosário e ninguém me disse nada ainda, nem do Nantes, nem do Cardiff", relatou o Horacio Sala ao canal "C5N".

Sala posta foto da despedida dos companheiros de Nantes - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Imagem: Reprodução Instagram


 

Futebol