PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio cita fracasso de melhor ataque do mundo e não teme rivais ricos

Sávio e Romário atuaram juntos no Flamengo em 1995, mas clube não empilhou títulos - Luciana Whitaker/Folha Imagem
Sávio e Romário atuaram juntos no Flamengo em 1995, mas clube não empilhou títulos Imagem: Luciana Whitaker/Folha Imagem

Do UOL, em Porto Alegre

22/01/2019 12h00

O Grêmio contratou quatro reforços para 2019, mas está bem longe da badalação obtida por Palmeiras e Flamengo na atual janela de transferências. Para o clube gaúcho, o dinheiro de paulistas e cariocas não garante sucesso. E o trio de ataque formado por Romário, Sávio e Edmundo na Gávea, nos anos 1990, é citado como exemplo.

Em 1995, o Flamengo anunciou a contratação de Romário e montou ataque com nomes fortes. No papel, o setor foi chamado de 'melhor ataque do mundo', mas na prática não houve brilho.

"A força do dinheiro tem falado alto, mas isso não é garantia de nada, a gente sabe disso. Me lembro do ataque do Flamengo com Romário, Sávio e Edmundo que não deu em nada. (Investimento alto) Não é garantia de nada. Claro que ajuda, mas não garante. O Grêmio tem uma camisa muito forte, jogadores excelentes e vamos fazer frente", disse Duda Kroeff, vice de futebol do Grêmio.

Até aqui, o Grêmio repôs as saídas de Marcelo Grohe, Cícero e Ramiro. Além de adicionar nova opção para o setor de ataque. O clube gaúcho anuncio Julio César, goleiro ex-Fluminense, Rômulo, volante emprestado pelo Flamengo, Walter Montoya, meia-atacante emprestado pelo Cruz Azul-MEX e Felipe Vizeu, atacante cedido pela Udinese.

"O mercado está inflacionado, está fora do comum. Está tudo muito caro, muito pedido. Pedido não tem problema, mas se entrar nessa? Quem tem, pode gastar. O Grêmio tem política de responsabilidade fiscal", destacou Romildo Bolzan Jr., presidente do clube gaúcho.

De dezembro para cá, o Grêmio sondou as situações de vários jogadores e não avançou pelos valores. Seja para contratação ou até mesmo salário. Nico Blandi, do San Lorenzo, foi um dos casos. Adriano, ex-Barcelona e agora no Besiktas, outro mais recente.

Futebol