PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jogador leva tiro no braço ao separar briga e vê clube rescindir contrato

Anderson com a camisa do América-PE; atleta teve contrato rescindido pelo Arapongas - Reprodução
Anderson com a camisa do América-PE; atleta teve contrato rescindido pelo Arapongas Imagem: Reprodução

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

21/01/2019 04h00

Um episódio ocorrido em Recife na última quinta-feira (17) culminou na rescisão de contrato do meia Anderson Felipe com o Arapongas, do Paraná, antes mesmo da apresentação. Recém-chegado ao clube, o atleta de 22 anos, segundo relatos, tentou separar uma briga e levou um tiro no braço direito - ele iniciaria os trabalhos no time na próxima segunda-feira (28).

Diante da situação, o Arapongas, que havia anunciado a contratação de Anderson no último dia 4, por meio de uma postagem no Facebook, decidiu romper o acordo que tinha com o meio-campista. O distrato também foi informado por meio da rede social, em nova postagem realizada na última sexta-feira. 

No comunicado, o clube paranaense disse que Anderson havia sofrido um atentado e que a rescisão foi em comum acordo, pois "o atleta se encontrará indisponível durante todo o período de recuperação e não poderá nem mesmo se apresentar à torcida".

A postagem ainda traz uma imagem em que Anderson aparece numa ambulância - ela foi apagada na tarde do último domingo, pois, segundo o clube, a foto não era adequada (uma nova publicação foi feita nesta segunda-feira). No mesmo dia, o meio-campista fez uma 'live' no Facebook, sem áudio e com uma proteção aparente no braço direito.

Arapongas - Divulgação - Divulgação
Comunicado divulgado pelo Arapongas na última sexta e apagado neste domingo
Imagem: Divulgação

A reportagem do UOL Esporte entrou em contato com o Arapongas. De acordo com Lucas de Moraes, diretor geral do clube, o incidente ocorreu em Ibura, bairro da zona sul do Recife, durante uma partida de futebol entre amigos. Ainda segundo ele, Anderson foi atingido depois de tentar ajudar um colega que teria sido alvo de um atentado.

As informações foram confirmadas pelo empresário do jogador, Gean, da GC Sports, por mensagem. O agente chegou a atender uma ligação da reportagem do UOL Esporte, mas ressaltou que não iria dar mais detalhes sobre o episódio. A reportagem ainda tentou confirmar as informações na delegacia de polícia de Ibura, mas não obteve êxito.

Por telefone, Lucas disse que a foto do atleta na ambulância foi enviada pelo empresário logo após a briga. O diretor afirmou ainda que apenas um pré-contrato havia sido assinado entre as partes (o vínculo seria de dois anos) e que a apresentação de todos os reforços do clube para temporada acontecerá no próximo dia 28. 

"Não houve apresentação e os contratos podem ser rescindidos, se o atleta não tiver condição física. Aconteceu essa fatalidade. Não tem como tratar com um atleta que se envolveu numa confusão. Complicado. Uma coisa seria se ele tivesse se machucado treinando. Aí não teria problema algum tratar", disse Lucas, que frisou também que ofereceu suporte ao jogador.

A reportagem ainda tentou falar com Anderson, que chegou a interagir em um primeiro momento, mas depois parou de responder as mensagens enviadas.

O Arapongas disputa a terceira divisão do Campeonato Paranaense. O torneio será disputado a partir do segundo semestre. Já Anderson, que é revelado nas categorias de base do Sport, já defendeu Ipiranga-BA, Internacional-PB, América-PE, Decisão-PE e Flamengo-PE.

Futebol