PUBLICIDADE
Topo

Chileno chama venezuelano de "morto de fome" em jogo sub-20 e cria polêmica

Diaz ofendeu rival venezuelano durante jogo no Sul-Americano sub-20 - Elvis González/EFE
Diaz ofendeu rival venezuelano durante jogo no Sul-Americano sub-20 Imagem: Elvis González/EFE

Do UOL, em São Paulo

20/01/2019 09h11

Classificação e Jogos

A vitória da Venezuela por 2 a 1 contra o Chile no Sul-Americano sub-20 ficou marcada por uma ofensa do lateral chileno Nicolás Díaz que provocou polêmica na noite do último sábado. Em meio a uma discussão, o jogador chamou o venezuelano Pablo Bonilla de "morto de fome", conforme captado por câmeras que faziam a transmissão do duelo realizado na cidade chilena de Rancagua.

O lance gerou revolta de forma instantânea nas redes sociais, com críticas a um comportamento considerado nocivo à relação entre os dois países. Por conta de uma crise econômica nos últimos anos do governo de Nicolás Maduro, milhares de venezuelanos migraram para o Chile em busca de melhores condições de vida.

Leia também

Apático, Brasil empata com a Colômbia na estreia do Sul-Americano sub-20
Venezuela surpreende e vence anfitrião Chile no Sul-Americano Sub-20

A grande repercussão gerou uma resposta rápida por conta de Nicolás Díaz. O lateral chileno escreveu um pedido de desculpas em seu perfil de Instagram, admitindo que errou ao ofender o jogador venezuelano.

"Eu quero dizer a todos que o que eu disse no jogo não é realmente o que sinto. Eu e minha família temos muitos amigos venezuelanos e eu respeito muito todas as pessoas que vieram ao Chile para trabalhar e ter uma boa vida. Se respondi desta forma, é porque Bonilla me insultou com algo que não vale a pena repetir quando eu caí naquela jogada, e no calor do momento são coisas que acontecem em campo", disse.

"Espero ver em breve todo o elenco da Venezuela no estádio para cumprimentá-los e resolver esse mal-entendido. Agora, trabalhar para continuar lutando por um lugar no hexagonal. De qualquer forma, sinto muito por todas as ameaças que recebi, que minha família, meu irmão e minha namorada receberam. Eu cometi um erro por coisas que acontecem em campo a e espero que em breve tudo seja resolvido", completou.

Em seu site, a federação chilena de futebol também se manifestou, endereçando uma carta escrita por Nicolás Díaz a Pablo Bonilla, ao técnico Rafael Dudamel e aos demais membros da seleção sub-20 venezuelana. 

"Por meio desta carta, gostaria de expressar minhas mais sinceras desculpas pela minha atitude reprovável em relação a Pablo Bonilla e ao povo venezuelano durante o jogo entre o Chile e a Venezuela", diz a carta.

"Estou ciente da longa história de amizade entre a Venezuela e o Chile. Por muitos anos, milhares de chilenos emigraram e foram recebidos de maneira carinhosa e fraterna. Todas as referências que tenho dos compatriotas que lá viviam são tremendamente positivas e dão conta de um país bonito, ao qual nunca tentei ferir com meus ditos", continuou.

"Eu lamento profundamente a minha reação a Pablo Bonilla. Em nenhum caso, minha intenção era denegrir ou insultar o povo venezuelano. Como milhões de chilenos, tive a sorte de compartilhar com pessoas que vieram da Venezuela ao Chile e percebi suas qualidades humanas", completou.

Pelo lado venezuelano, o técnico Rafael Dudamel e o jogador Pablo Bonilla ainda não se manifestaram sobre a polêmica, assim como a Conmebol. 

Chile e Venezuela estão no mesmo grupo do Sul-Americano Sub-20 que o Brasil, que empatou por 0 a 0 na estreia contra a Colômbia. OS venezuelanos lideram com seis pontos após duas vitórias. 
 

Futebol