PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jadson vira "vovô-garoto" no Corinthians e exerce liderança com risadas

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

17/01/2019 04h00

Peça fundamental do Corinthians, Jadson torna-se em 2019 o jogador mais velho do elenco alvinegro. O meia de 35 anos é visto pelos companheiros como um "vovô-garoto", que exerce liderança de forma descontraída ao mesmo tempo em que dá sugestões a Fábio Carille. Ele é um dos pilares da equipe, que abre a temporada mais experiente, mas com média de idade menor em relação ao ano passado.

"[Jadson] é um vovô com espírito de menino. Ele é quem mais enche o saco de todo mundo, o que mais zoa a galera", revela Fagner, entre risos, sobre o modo brincalhão do meia. Cássio reforça. "Esse é uma figura. Um cara do bem, positivo, que nas situações mais difíceis está sempre tentando colocar o pessoal para cima", diz o goleiro.

O bom humor do meio-campista pode não chamar atenção publicamente, mas é unanimidade no CT Joaquim Grava. Mesmo Emerson Sheik, conhecido pela irreverência, exalta a qualidade de Jadson. "É uma das pessoas mais alegres que eu já vi na vida, muito brincalhão", afirma o agora coordenador de futebol do Corinthians. "Quando ele brinca, parece ter a idade do Pedrinho, do Mateus [Vital]. Mas pela idade, sim, ele agora assume essa condição de ser o mais velho do grupo, de transmitir experiência aos mais jovens."

O espírito leve torna Jadson acessível a todos do grupo, ao mesmo tempo em que é um dos mais consultados por Fábio Carille. O técnico tem o hábito de ouvir opiniões dos mais experientes, com quem discute estratégias de jogo e fala sobre a evolução dos atletas jovens. Neste cenário, Jadson é como um elo que une todo o elenco à comissão técnica.

É um papel importante em um grupo de poucos veteranos. Apenas Cássio, Fagner e Ralf são comparáveis a Jadson no quesito identificação com o Corinthians; os outros jogadores chegaram há pouco tempo ou são jovens demais para exercer real liderança. Com a saída de Danilo e a aposentadoria de Sheik, a importância do camisa 10 e dos outros três mosqueteiros aumentou ainda mais.

Média de idade menor, expectativa maior

Sheik e Danilo, aliás, eram quem puxavam a média de idade do Corinthians para cima. O elenco fechou 2018 com média de 26 anos e meio, que é um ano a mais do que os 25 e meio do grupo atual. De todas as caras novas, apenas Mauro Boselli (33), Manoel e Michel Macedo (28 cada) estão acima da nova média.

A média de idade caiu, mas a expectativa do Corinthians com seu elenco aumentou. A comissão técnica espera que os atletas contratados para evoluir no clube passem a apresentar resultados melhores a partir deste ano. São os casos de Douglas, Thiaguinho, Araos e Mateus Vital, por exemplo, que ainda não são unanimidade para a torcida mas são vistos como promissores pelo clube. A intenção é a mesma com Léo Santos, Carlos Augusto e Pedrinho, crias da base.

Saídas de Danilo e Sheik fazem de Jadson o mais velho do elenco

Band Esportes

Futebol