PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Investigação aponta repasses de empresários a ex-dirigentes do Inter

Vitorio Piffero comandou a gestão investigada pelo Ministério Público  - Jeremias Wernek/UOL
Vitorio Piffero comandou a gestão investigada pelo Ministério Público Imagem: Jeremias Wernek/UOL

Marinho Saldanha e Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

17/01/2019 10h11

A investigação do Ministério Público sobre a gestão 2015/2016 do Internacional deu novo passo com a quebra do sigilo bancário dos ex-dirigentes supostamente envolvidos em atividades ilegais no clube. A notícia foi divulgada pela Zero Hora. A reportagem do UOL Esporte teve acesso aos documentos da investigação que apontam repasses irregulares de empresários para os antigos cartolas. 

Segundo a investigação, a prática funcionava, resumidamente, da seguinte forma: um determinado jogador era contratado, uma quantia, como praxe, repassada a empresários como pagamento de honorários e, em seguida, parte dela retornava em forma de depósito para conta do ex-vice de futebol do clube, Carlo Pellegrini. 

Estão citadas pelo MP as contratações do lateral-esquerdo Paulo Cezar Magalhães, do zagueiro Réver, do centroavante Ariel, a renovação do lateral-direito Claudio Winck e a venda do goleiro Alisson. 

"Havia, pois, um lógico dos fatos. Ora determinada negociação era concluída e, em seguida, o empresário, em nome próprio, de uma empresa a ele vinculada ou de terceiro também relacionado a ele, efetuava, em recompensa, algum repasse financeiro ao dirigente responsável", diz o MP.

E não era apenas este o fluxo detalhado. Em outros casos empresários repassavam dinheiro aos dirigentes para "criar vínculo" e em seguida concluir negócios com atletas agenciados por eles. 

Além do então vice de futebol Carlos Pellegrini, estão citados nesta fase da investigação o ex-presidente Vitório Píffero, o ex-vice de finanças Pedro Affatato e o ex-vice de administração Alexandre Limeira. Os agentes referidos são: Fernando Otto, Rogério Braun e Giuliano Bertolucci. 

Na última semana foram realizadas ações de busca e apreensão na casa de ex-dirigentes do Colorado e empresários envolvidos no caso. 

A investigação ainda sublinhou que, antes de se tornar vice de futebol do Inter, quando possivelmente exerceria com maior atenção suas atividades profissionais, a conta bancária de Carlos Pellegrini praticamente não recebia depósitos em espécie. E tão logo passou a ter função importante no futebol do Inter passou a multiplicar recebimentos atingindo mais de R$ 300 mil. 

"Sempre era o clube que saía prejudicado, ou contratando atletas que, sem tais acertos financeiros, por critérios técnicos ou físicos, jamais seriam contratados, ou embutindo no preço pago pelos jogadores valores que seriam repassados a dirigentes. Assim, o Internacional era induzido em erro pelos dirigentes e pelos empresários, que, em conluio, simulavam contrato em valores superiores ao pertinente e adequado, obtendo, desta forma, vantagens financeiras em detrimendo do clube, circunstância que pode caracterizar o delito de estelionato", segue a investigação. 

Ao jornal Zero Hora, o advogado de Carlos Pellegrini, principal figura da investigação, deu a seguinte declaração: "Afirmar que o Pellegrini recebeu valores indevidos por contratações não é verdade. Ainda estamos analisando todo o inquérito. Tudo será explicado ao MP. Estamos ao lado da investigação e queremos que tudo seja apurado. Por que não falam das boas contratações da gestão, como Marcelo Lomba, Nico López, Danilo Fernandes? Ou destes, Pellegrini não recebeu valor nenhum?", disse. 

As demais partes investigadas, através de seus advogados, informam que irão se manifestar apenas na Justiça. 

O Internacional aguarda a conclusão dos apontamentos do Ministério Público para buscar ressarcimento dos valores que ficarem comprovados que deixaram os cofres do clube de forma irregular. Todos os dirigentes envolvidos na investigação se tornaram inelegíveis em qualquer clube esportivo após definição interna no Conselho Deliberativo do clube e ainda podem ser expulsos do quadro. 

Futebol