PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter pode sair ileso de mais uma janela, mas vê lado ruim nisso

Rodrigo Dourado comemora gol do Inter contra o Caxias. volante não tem propostas - Ricardo Duarte/Internacional
Rodrigo Dourado comemora gol do Inter contra o Caxias. volante não tem propostas Imagem: Ricardo Duarte/Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

16/01/2019 04h00

Mais uma janela de transferências se aproxima da metade, e o Inter não perdeu nenhum jogador. Mesmo valorizados pela boa campanha em 2018, os atletas do elenco vermelho não têm negociação em andamento com clubes do exterior. E não há apenas lado positivo nisso. 

Se Odair Hellmann não perde peças e mantém o elenco forte para a disputa da Libertadores, os cofres também não recebem quantias altas em dinheiro. Nos gabinetes do Beira-Rio, mesmo que manter a base do grupo seja importante, considera-se que não receber dinheiro com vendas breca a possibilidade de melhora financeira. 

A saúde do clube se deve muito à doação em anistia de dívidas feita por Delcir Sonda nos últimos dias de 2018Ali, o clube se viu liberado de débitos com juros que poderiam inviabilizar pagamentos de folha no futuro. 

E o poder de investimento viria da saída de jogadores, que até então não se confirmou. Rodrigo Dourado, Iago, William Pottker eram considerados alvos do exterior, mas não tiveram qualquer proposta oficial. 

No ano passado, o Inter conseguiu se sustentar com a venda de jogadores que estavam emprestados e com os direitos de formação de atletas importantes como Alisson e Fred. Ainda que ocorram algumas movimentações semelhantes, o quadro dificilmente irá se repetir neste ano. Quem dá alguma esperança no momento é o lateral Rogério, vendido à Juventus e emprestado ao Sassuolo, da Itália, e que estaria nos planos do Chelsea. 

O rompimento de Valdívia com o Al-Ittihad, também, gerou decepção nos bastidores do clube. A expectativa era que o jogador conseguisse jogar com regularidade na Arábia Saudita e pudesse ser vendido. A cláusula de compra estava estipulada em 10 milhões de euros (R$ 42,3 milhões) e, ainda que não fosse repassada de forma integral ao clube pela divisão percentual de direitos, auxiliaria na construção de caixa. 

A permanência de todos, porém, ainda não está garantida. Com praticamente metade da janela de transferências pela frente, ainda há possibilidade de negociações. E a direção, antevendo isso, tratou de contratar possíveis reposições para Dourado de forma antecipada, protegeu a vaga de Iago com a manutenção de Uendel e também completou o espaço de campo ocupado por Pottker com Parede, Neilton e até Sobis. 

Futebol