PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sondado por outros clubes, Barcos ainda não foi procurado pelo Cruzeiro

Pirata chegou em julho, mas pode deixar o Cruzeiro devido à alta concorrência no ataque - Pedro Vilela/Getty Images
Pirata chegou em julho, mas pode deixar o Cruzeiro devido à alta concorrência no ataque Imagem: Pedro Vilela/Getty Images

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

15/01/2019 04h00

Figura crucial nas semifinais da Copa do Brasil do ano passado, balançando as redes nas duas partidas diante do Palmeiras, o atacante Barcos não tem seu futuro garantido no Cruzeiro. Com contrato válido até o meio do ano, o argentino ainda não foi procurado pela diretoria celeste, e já recebe sondagens sobre sua situação no clube.

O vínculo do Cruzeiro feito com o Pirata é válido até o dia 30 de junho, o que já permite que um pré-contrato seja feito com outra agremiação. David Barcos, irmão e empresário do atacante, alega não ter nenhuma proposta oficial em mãos, mas admite sondagens pelo atleta. Por outro lado, garante que a diretoria celeste ainda não demonstrou nenhuma intenção de continuar com o argentino.

Barcos foi contratado em julho de 2018. Na ocasião, a intenção da diretoria era ter um atacante de peso para ser a referência dentro da área nas decisões que o clube teria pela frente, já que Fred, titular, e Sassá, reserva de imediato, estavam machucados. Barcos marcou três gols em seus primeiros meses, mas dois deles ajudaram diretamente o time na caminhada pelo hexa da Copa do Brasil. Na semifinal contra o Palmeiras, o Pirata marcou o gol da vitória em São Paulo e abriu o placar no empate em Belo Horizonte.

Para esta temporada, além de Fred e Sassá, Barcos também terá a concorrência de Raniel no ataque. Contudo, as primeiras atividades da pré-temporada do Cruzeiro não foram animadoras para o argentino. No jogo-treino do último sábado, contra o Coimbra, Mano Menezes utilizou praticamente quase todos os seus comandados, mas Barcos ficou apenas no banco de reservas.

Futebol