PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Quarta opção do ataque do Corinthians, Jonathas tem futuro em xeque

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

15/01/2019 04h00

Poucas aparições devido à forte concorrência no comando do ataque. É diante desse cenário que o centroavante Jonathas reinicia os trabalhos no Corinthians nos primeiros dias da temporada. Em xeque, o jogador pode até deixar o clube paulista antes do término do contrato de empréstimo.

Com a chegada de Boselli e o retorno de Gustagol, Jonathas passa por uma situação ainda mais complicada que a vivida na última temporada. Hoje, ele é a quarta opção do time de Fábio Carille para a posição de centroavante. Ele também está atrás também de Roger na disputa por uma vaga no comando do ataque.

Não à toa, o jogador sequer apareceu em campo no jogo-treino contra o Nacional na última quinta-feira (10). Na atividade do dia seguinte, voltou a trabalhar apenas nas áreas internas do CT Joaquim Grava - ele também não enfrentou o Santos no amistoso disputado há dois dias. A situação faz com que o Corinthians tente devolver o atacante ao Hannover, da Alemanha, clube que o emprestou no ano passado - o contrato é válido até junho deste ano.

Quando Jonathas chegou ao Corinthians, a concorrência era menos intensa. Naquela ocasião, ele disputava a posição com Roger e Matheus Matias, a terceira opção para o setor. Mesmo com mais espaço no elenco, o centroavante não conseguiu corresponder às expectativas criadas a partir da sua contratação. O atleta desembarcou no Parque São Jorge com o objetivo de tentar suprir a falta de Jô. Meses antes, Roger foi contratado sob o mesmo pretexto e tampouco teve êxito.

O desempenho da dupla fez o técnico Jair Ventura até abandonar o esquema com um centroavante de ofício. Com Jonathas e Roger na reserva, Danilo passou a exercer a função de falso nove. Mesmo fora de posição, o meia foi mais efetivo, com, por exemplo, dois gols na vitória sobre o Bahia na reta final do Brasileirão.

Mas, apesar do desempenho ruim nos jogos, Jonathas teve uma chance de ouro nas mãos na final da Copa do Brasil. Roger, que à época estava à frente na disputa pela vaga, não pôde entrar em campo porque já havia defendido do Inter na competição.

Titular diante do Cruzeiro em Itaquera, Jonathas novamente decepcionou e manteve a fase ruim - o único gol com a camisa corintiana foi marcado no clássico contra o São Paulo, na segunda partida pelo clube (em nove jogos, cinco como titular, o atacante atuou por 381 minutos).

Com o retorno de Carille ao Corinthians, Matheus Matias foi emprestado ao Ceará. Gustagol, por sua vez, foi reintegrado ao elenco depois de se destacar no Fortaleza. O clube ainda acertou a contratação do argentino Mauro Boselli, a maior esperança corintiana para enfim fazer a torcida esquecer Jô. Já Roger, que atuou no segundo tempo do clássico diante do Santos, é visto hoje com a terceira opção para o ataque.

Futebol