PUBLICIDADE
Topo

Junior Barranquilla vai à Fifa e cobra dívida do Atlético-MG por Chará

Atlético-MG não pagou a quarta parcela de Chará e Junior Barranquilla foi à Fifa - Pedro Vilela/Getty Images
Atlético-MG não pagou a quarta parcela de Chará e Junior Barranquilla foi à Fifa Imagem: Pedro Vilela/Getty Images

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

15/01/2019 09h46

O Atlético-MG foi acionado na Fifa pelo Junior Barranquilla, da Colômbia, pelo não pagamento de uma parcela da compra de Yimmi Chará. Os mineiros pagaram US$ 3 milhões (R$ 11,1 mi na cotação atual) ao ex-clube do atacante e devem uma prestação de US$ 1 milhão (R$ 3,7 mi) desde outubro do ano passado.

A imprensa colombiana noticiou, na noite dessa segunda-feira (14), que o clube local acionou a Fifa para receber o débito dos mineiros. O UOL Esporte confirmou a situação com uma pessoa ligada ao próprio Junior.

Segundo apuração da reportagem, a intenção do Junior Barranquilla é receber os US$ 3 milhões (R$ 11,1 milhões) restantes em uma só ocasião. O montante equivale ao restante da dívida que o Atlético precisa pagar, incluindo a parcela atrasada e outras duas que ainda estão por vir. Por outro lado, exigir a quitação de uma só vez poderia atrasar o processo na entidade máxima do futebol.

O Galo adquiriu o jogador de 27 anos, em julho passado, por US$ 6 milhões (R$ 22,2 milhões à época). O montante foi parcelado em seis vezes. As três primeiras prestações foram pagas normalmente. Os mineiros devem a quarta, avaliada em US$ 1 milhão (R$ 3,7 mi).

O Atlético ainda não foi notificado sobre o fato e tenta o parcelamento da prestação. Há uma negociação com a diretoria do Junior em curso. Eles tentam um acordo para evitar que a ação avance na entidade máxima do futebol.

A ideia da diretoria alvinegra é chegar a um acerto ainda no primeiro mês de 2019. No entanto, aguarda a entrada de recursos para repassar o montante ao clube de Barranquilla. Novas parcelas ainda estão para vencer no decorrer do ano, conforme estabelecido no contrato de compra do jogador. As datas, no entanto, não são divulgadas.

No acordo entre as partes, no meio de 2018, os mineiros ficaram com 70% dos direitos econômicos do atleta. O restante (30%) permaneceu com os colombianos. Chará assinou contrato até dezembro de 2023.

Futebol