PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Volpi elogia Ceni, mas diz estar pronto para ser o "goleiro do São Paulo"

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

03/01/2019 14h59

O São Paulo apresentou os seus primeiros reforços para 2019. Nesta quinta-feira (3), no CT da Barra Funda, o goleiro Tiago Volpi falou sobre a responsabilidade de chegar ao clube para vestir a camisa que já foi de Rogério Ceni. Desde a aposentadoria do campeão mundial de 2005, em 2015, nenhum arqueiro conseguiu se firmar no setor.

"É lógico que tem uma certa pressão por tudo que o Rogério representou, mas temos de encarar isso como uma grande oportunidade, uma chance linda de fazer história. É necessário entender que igual ao Rogério não vai existir. O Rogério foi muito acima da média. Eu não venho pressionado neste sentido. Venho solto, com muita alegria, e com vontade de fazer a minha própria história, sempre respeitando quem está aqui", afirmou Volpi.

O goleiro, de 28 aos, estava no Querétaro, do México. Lá desde 2015, conquistou títulos e passou a ter o status de ídolo. Em sua despedida do clube, foi homenageado pelos torcedores e dirigentes.

"Se não eu acreditasse nisso [que pode ser o goleiro do São Paulo após a aposentadoria de Ceni] e no meu potencial, poderia ficar no México, onde era ídolo e capitão da equipe. Se aceitei o desafio, é porque acredito que posso vestir essa camisa e me tornar o goleiro do São Paulo", afirmou o arqueiro, que já estava na mira do Tricolor paulista.

"Posso dizer que não é de agora, é um namoro antigo. Faz mais de um ano que conversamos com o São Paulo e o Raí. Infelizmente, em outras oportunidades não foi possível realizar essa vinda. Sempre mantivemos esse contato, e agora surgiu a oportunidade de realizar um sonho profissional. Sabemos da grandeza do São Paulo. Estou feliz com o desfecho dessa história", completou o arqueiro.

Além de Volpi clube fechou com Willian FariasBiro BiroIgor Vinícius, Léo, Hernanes e Pablo, além de Vagner Mancini como coordenador técnico. 

Futebol