Topo

Futebol


Após caso de racismo, Inter de Milão pede "futuro sem discriminação"

Kalidou Koulibaly, do Napoli, durante jogo contra a Inter de Milão - Marco Bertorello/AFP
Kalidou Koulibaly, do Napoli, durante jogo contra a Inter de Milão Imagem: Marco Bertorello/AFP

Do UOL, em São Paulo

27/12/2018 15h53

Um dia depois de Kalidou Koulibaly, zagueiro do Napoli, ser alvo de insultos racistas na derrota por 1 a 0 para a Internazionale, o clube de Milão usou suas contas oficiais no Twitter para se manifestar nesta quinta-feira (27), pedindo um "futuro sem discriminação".

"Desde 1908, a Inter representa integração, inovação e progresso. A história de Milão é acolhedora e juntos lutamos para construir um futuro sem discriminação. Aqueles que não entendem esta história não estão conosco", diz o comunicado publicado pelo clube.

Koulibaly acabou expulso da partida aos 35 do segundo tempo após aplaudir ironicamente o árbitro, que na sua visão não fez nada para impedir os insultos. Depois, o jogador pediu desculpa aos colegas e enviou um recado aos torcedores que o ofenderam.

"Sinto muito pela derrota e por ter deixado os meus irmãos em desvantagem numérica no campo. Mas tenho orgulho da cor da minha pele. Tenho orgulho de ser francês, senegalês, napolitano, homem", afirmou.

Pelo incidente, Koulibaly pegou dois jogos de suspensão pela expulsão. A Inter, por sua vez, perdeu o mando de campo por duas partidas e terá de jogar com portões fechados.

Mais Futebol