PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cícero se apoia em cláusula de número de jogos para renovar com Grêmio

Cícero em ação pelo Grêmio; meio-campista ainda não renovou contrato com o clube - Diego Vara/Reuters
Cícero em ação pelo Grêmio; meio-campista ainda não renovou contrato com o clube Imagem: Diego Vara/Reuters

Jeremias Wernek e Ricardo Perrone

Do UOL, em Porto Alegre e São Paulo

25/12/2018 04h00

O futuro de Cícero segue aberto, e a incerteza passa por divergência em uma cláusula do atual contrato do jogador com o Grêmio. Segundo apurou o UOL Esporte, o meio-campista e o clube gaúcho debatem os termos da prorrogação automática prevista no documento assinado em janeiro de 2018.

Aos 34 anos, Cícero tem mais uma semana de contrato com o Grêmio. A permanência em Porto Alegre não está descartada, mas a situação só deve se definir no início de 2019.

O contrato de Cícero prevê renovação automática, mas apenas em caso de participação do meio-campista em 65% dos jogos em que ele estiver à disposição. Ou seja, sem estar lesionado ou suspenso. As contas não batem entre as partes.

O Grêmio entende que Cícero não fez o percentual previsto para ativar a prorrogação. A conta feita pelo clube envolve os jogos do Campeonato Gaúcho e do Campeonato Brasileiro. A escalação de time B, tanto no Estadual quanto no Nacional, está no centro do debate.

Cícero participou de 46 das 73 partidas do Grêmio em 2018. Ou seja, esteve em 63% dos jogos do ano. O argumento do outro lado da mesa de negociação é que Renato Gaúcho não usou força máxima em todos os jogos da temporada. E de fato, o clube recorreu ao time B.

No Gauchão, o time de transição atuou em quatro rodadas. No Brasileirão, Renato ficou à beira do campo em todas as partidas, mas em pelo menos dez rodadas montou equipe alternativa de olho na Copa do Brasil ou na Libertadores.

Com a divergência sobre o percentual de jogos de Cícero na agenda do Grêmio ao longo de 2018, o clube gaúcho apresentou oferta para renovar o vínculo. No acordo, o salário proposto é idêntico ao combinado para este ano, e havia prazo para resposta formal. Sem retorno, a cúpula gremista entendeu que as tratativas esfriaram.

"A gente fez uma proposta a ele, não houve resposta. A gente conversou com o empresário do Cícero, e estamos caminhando com outras possibilidades na posição dele. Poderia correr o risco de vir alguém e depois não acertar com ele. Mas a gente sabe da qualidade, como ele pode ajudar. Por enquanto, está em aberto. Não tem posição definida sobre isso", disse André Zanotta, gerente executivo de futebol do Grêmio até o fim do ano.

Após viagem de férias com a família, Cícero conversará com o Grêmio. O contrato atual, em caso de renovação automática, ainda possibilita outro cenário: saída no primeiro trimestre de 2019 mediante reembolso aos cofres do clube gaúcho.

Futebol