PUBLICIDADE
Topo

Futebol

N. Iguaçu tem estádio interditado, e Goytacaz perde torcida após confusão

Confusão gerou veto de torcida do Goytacaz e interdição de estádio do N. Iguaçu - Reprodução/Twitter Futrio
Confusão gerou veto de torcida do Goytacaz e interdição de estádio do N. Iguaçu Imagem: Reprodução/Twitter Futrio

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/12/2018 17h39

A confusão gerada pela torcida do Goytacaz no último sábado, no Laranjão, na Baixada Fluminense, teve desdobramentos. Neste domingo, o TJD-RJ (Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro) interditou o estádio do Nova Iguaçu e ainda proibiu a torcida do time de Campos de frequentar os estádios em dias de jogos.

Tudo porque no último sábado o Nova Iguaçu venceu por 2 a 1 na estreia do Carioca e viu o goleiro Paulo Henrique, do Goytacaz, se desentender com a própria torcida. Após o apito final, os torcedores se dirigiram a uma área reservada a atletas para tentar agredir o jogador. Seguranças do Nova Iguaçu e policiais militares interviram.

O clima estava quente e tiros foram disparados para o alto no intuito de apaziguar os ânimos e evitar situação mais grave. A atitude, no entanto, não foi bem recebida pelo presidente do TJD, Marcelo Jucá.

"Faltam condições de segurança na arena que se pretende a interdição, além de que a torcida do visitante não poderia, sob hipótese alguma, agir no ímpeto de agredir um atleta do próprio clube e ainda mais em uma área reservada, onde o acesso é proibido. Os fatos ocorridos são extremamente lamentáveis e refletem o que existe de pior no esporte" relatou Jucá no despacho.

"É inadmissível que em uma arena esportiva frequentada por crianças, famílias, idosos e torcedores em geral, seguranças privados estejam armados e o pior, que efetuem disparos, seja qual for o motivo. O Nova Iguaçu utilizou meios temerários para conter a desordem causada pelo visitante, o que poderia ter causado uma tragédia sem precedentes para o futebol do Estado do Rio de Janeiro. No que se refere ao Goytacaz, esse provou que seus torcedores não possuem condições de frequentar arenas esportivas e, se na qualidade de visitantes agiram dessa maneira, evidente o risco de como mandantes praticarem condutas ainda mais graves", completou o presidente do TJD-RJ.

A medida será mantida até o julgamento do caso ainda sem data definida. Os clubes se posicionaram e lamentaram a decisão.

Veja as notas na íntegra:

Goytacaz

A diretoria do Goytacaz Futebol Clube, através de seu Presidente, por meio desta nota, vem esclarecer o episódio ocorrido ontem após o jogo contra o Nova Iguaçu Futebol Clube no Estádio Janio Moraes.

Durante uma manifestação ao final do jogo, junto ao ônibus do clube, fora do estádio, alguns poucos torcedores protestavam contra a atuação do time durante a partida.

A segurança do Nova Iguaçu Futebol Clube, por meio de seu próprio arbítrio concluiu ser necessário o disparo de arma de fogo para o alto com intuito de contornar a situação.

Frisa-se que o Goytacaz Futebol Clube foi muito bem tratado e recebido pela diretoria do Nova Iguaçu, sem dúvidas.

Mas repudia veemente tal atitude de alguns seguranças por considerar inadequada ante ao fato da manifestação ter sido pacífica e fora do estádio, e, em número pequeno de torcedores, perante o contingente de seguranças presentes no local.

Ao nosso torcedor faremos de tudo para reverter a situação com trabalho e suor para continuar lutando pela classificação e dar alegrias para nossa apaixonada torcida.

Atenciosamente
Dartagnan Fernandes

Nova Iguaçu

A diretoria do Nova Iguaçu Futebol Clube se surpreendeu com a nota divulgada pelo Goytacaz neste domingo, assinada por seu presidente, Dartagnan Fernandes, após o ocorrido no Estádio Laranjão depois do encerramento do jogo vencido pelo Nova Iguaçu por 2 a 1, pela primeira rodada do Campeonato Carioca.
Logo após o término do jogo, torcedores do Goytacaz, bastante exaltados, invadiram o espaço destinado ao acesso dos jogadores da equipe visitante, onde ficam estacionados o ônibus e demais veículos da delegação, e tentaram invadir o vestiário do Goytacaz. Para proteger os jogadores e dirigentes, o Nova Iguaçu acionou sua equipe de seguranças e a Polícia Militar também foi chamada.

Se não fosse a presença dos seguranças do Nova Iguaçu e de policiais militares, que tiveram de utilizar a força, algo mais grave poderia ter ocorrido com os membros da delegação do Goytacaz. Graças à iniciativa do Nova Iguaçu, ninguém foi agredido e o tumulto foi dispersado. Na sequência, o próprio presidente Dartagnan Fernandes agradeceu aos seguranças.

Porém, neste domingo, de forma surpreendente, o presidente do Goytacaz publicou nota dizendo "repudiar veemente (sic) a atitude de alguns seguranças por considerar inadequada" e que a manifestação foi "pacífica", o que não é verdade. Houve tentativa de invasão, torcedores tentaram arrombar o portão de acesso dos atletas para o vestiário, na área externa do estádio.

O que a diretoria do Goytacaz, então, gostaria? Que os seguranças não estivessem presentes e os próprios torcedores de sua equipe agredissem os dirigentes e jogadores? O Nova Iguaçu Futebol Clube ressalta que fez tudo o possível para prezar pela segurança de torcedores, dirigentes e jogadores do Goytacaz e que sempre trata com cordialidade seus co-irmãos.

Ademais, o Nova Iguaçu Futebol Clube espera uma retratação do presidente Dartagnan Fernandes.

Futebol