PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Reforço do Olaria é fake, e piada com prisão expõe racismo na internet

Reprodução
Imagem: Reprodução

Adriano Wilkson e Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

20/12/2018 14h34

A foto de um rapaz negro à frente de um painel do Olaria Atlético Clube viralizou nesta quarta-feira (19) com uma piada de conotação racista.

O meme, que circulou no Twitter, em páginas populares do Facebook e no WhatsApp, brinca com a aparência do retratado e o compara com prisioneiros em operações policiais. "Parece que está sendo preso, mas é só o novo reforço do Olaria", diz o texto que parte dos internautas postou para se referir ao assunto.

Na imagem, um jovem negro veste moletom e está cabisbaixo, em situação incomum a apresentações de jogadores.

Procurado, o vice-presidente de futebol do Olaria, que está na segunda divisão do Campeonato Carioca, afirma que o viral é fake. "Não sei quem é esse garoto, nunca vi na vida. Nem jogadores contratados nós temos", disse Roberto Gaúcho, irritado com a repercussão da foto. "Já recebi umas 50 mil mensagens hoje. Provavelmente esse menino é vítima de uma brincadeira de muito mau gosto", disse.

Os diretores do clube centenário ainda vão se reunir nos próximos dias para planejar a temporada de 2019, na qual o Olaria vai disputar a segunda divisão do Estadual do Rio.

De acordo com o cartola, o clube mantém o painel quadriculado, com seu escudo e a marca de um patrocinador, na entrada de sua sede em que torcedores costumam parar para tirar foto. Gaúcho já acionou seu departamento jurídico para tentar identificar a origem do viral e, se possível, "tomar as medidas cabíveis".

Associar a figura de pessoas negras a situações criminosas é uma das principais formas de propagar o racismo institucional no Brasil, afirma o advogado Marcelo Carvalho, do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, que monitora casos de preconceito no esporte desde 2014.

"O racismo no Brasil se propaga principalmente assim na forma de brincadeira", afirma ele, que também recebeu o meme pelo WhatsApp nesta quarta. "Foi assim no caso daquele youtuber (Julio Cocielo) que fez piada com o Mbappé. É a forma mais vil de racismo porque as pessoas acham que é só uma piada e ela vai se propagando", disse.

No caso mencionado por Carvalho, Cocielo citou a velocidade do astro francês mostrada em jogo da Copa do Mundo para dizer que  "Mbappé conseguiria fazer uns arrastão (sic) top na praia". Posteriormente, o youtuber pediu desculpas pelos comentários, perdeu patrocínio de parte das marcas que o apoiavam e promotores entraram com ação, cobrando R$ 7 milhões de Cocielo.

O Olaria disse que está tentando identificar o garoto mostrado na foto. A reportagem preferiu não mostrar seu rosto para não o expor ainda mais.

O UOL Esporte também procurou páginas populares no Facebook que repercutiram o meme. Uma delas, a Manual do Jogador Ruim, conta com mais de 1,3 milhão de seguidores. Segundo os administradores da página, o responsável pela postagem foi afastado.

"Éramos em cinco (administradores), e todos têm o direito de opinar e postar o que tenha a ver com o perfil da página - coisas sadias e, principalmente, relacionadas a futebol. Nós sempre fomos apoiadores de causas sociais e nunca tivemos polêmicas ou um perfil preconceituoso. Inclusive lutamos contra isso", explicou Bruno Oliveira, um dos responsáveis pela página, que preferiu não expor o nome do autor da postagem.

"Infelizmente, esse integrante cometeu um ato que vai totalmente contra o que pregamos, e já foi responsabilizado e afastado", assegurou.

Diante da reação negativa, a página entrou em contato com diversos seguidores para se desculpar. "Apagamos a publicação prontamente após tomar conhecimento da postagem", explicou Bruno. "Sempre fomos uma página de humor sadio e sem nenhuma maldade. Os posts antigos mostram isso. Foi uma infelicidade, e quem cometeu foi prontamente afastado", reforçou.

Futebol