PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ligação de Raí, sonho de avô e Libertadores levaram Pablo ao São Paulo

Atacante mostra a imagem usada pelo Tricolor para anunciar sua chegada - Divulgação/saopaulofc.net
Atacante mostra a imagem usada pelo Tricolor para anunciar sua chegada Imagem: Divulgação/saopaulofc.net

Do UOL, em São Paulo

20/12/2018 12h36

Pablo terminou a temporada com um dos jogadores mais cobiçados do país, graças aos gols e ao bom desempenho que levaram o Atlético-PR a ser campeão da Copa Sul-Americana. Por isso, não bastava só o pesado investimento para tirá-lo do Furacão. O São Paulo, além dos 6 milhões de euros (R$ 26,5 milhões), usou o peso de Raí e da tradição do clube na Copa Libertadores da América para contratar o atacante.

"Estava no supermercado, quando recebi uma ligação. Eu olhei para o celular e falei: 'É o Raí, velho!' Fiquei fascinado. Atendi, ele me falou que tinha fechado, e eu fiquei todo emocionado. Todos sabem que, no Brasil, nenhum outro clube tem tanta identificação com a Libertadores quanto o São Paulo. A torcida é apaixonada pela competição, o clube é respeitado por todo o continente. Quando eu era pequeno, via o São Paulo jogar a Libertadores e isso ficou marcado", exaltou o jogador de 26 anos.

MERCADO DA BOLA:
- Santos aceita vender Victor Ferraz, mas São Paulo terá de subir proposta
- São Paulo projeta receber até R$ 120 milhões em vendas em 2019

Além do projeto oferecido, o Tricolor contou com uma ajuda familiar de Pablo. O avô materno do atacante é são-paulino e sonhava em ver o neto defendendo o clube paulista: "Estou muito ansioso e tenho familiares são-paulinos que também estão muito felizes. Meu avô vai ficar muito feliz. Todos na minha casa gostam muito do clube. Assim como eu, minha esposa e minha família sempre tiveram o São Paulo como primeira opção, por tudo o que representa".

O desejo da família agora será realizado e o atleta ainda poderá reencontrar amigos do passado. Ele atuou com Bruno Alves no Figueirense e com Everton no Atlético-PR. Com os antigos parceiros, espera ajudar o São Paulo a sair da seca de títulos que já dura seis anos.

"Sonho em ser campeão e ficar marcado na história do São Paulo. É isso que eu quero: chegar para vencer e ser um grande jogador no São Paulo para conquistar títulos. Em casa, eu tenho um lugar perto da churrasqueira onde deixo todas as minhas camisas, dos clubes que joguei. E minha esposa já disse: 'Temos que colocar uma do São Paulo lá'. A expectativa é imensa", projetou.

Características em campo e como pessoa

"Sou um cara muito tranquilo, de grupo. Aprendi muito na minha carreira com os treinadores que tive, em questões táticas. Já joguei em diversas posições, algumas até inusitadas, e aprendi. Gosto de ouvir os jogadores mais experientes e os mais novos. Quero aprender tudo que tiverem para me ensinar. Gosto de jogar na frente, de estar próximo ao gol, de fazer a marcação lá em cima. Gosto de pensar coletivamente, isso é o principal, e quero jogar para o grupo".

Morumbi e Libertadores

"O São Paulo é um time tricampeão da Libertadores, então é uma sensação incrível pensar que vou poder ajudar na Libertadores e em outros campeonatos. O Morumbi é um estádio histórico no futebol brasileiro, que já viu o São Paulo ser campeão muitas e muitas vezes e é conhecido em qualquer lugar do mundo. Espero jogar bastante, fazer gols nesse estádio e, sendo minha nova casa, é isso que eu tenho que fazer".

Futebol