PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Agente é aguardado em BH na próxima semana para discutir rescisão de Sóbis

Sóbis perdeu espaço no Cruzeiro e não deverá ficar no clube na próxima temporada - © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Sóbis perdeu espaço no Cruzeiro e não deverá ficar no clube na próxima temporada Imagem: © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

20/12/2018 17h39

Rafael Sóbis dificilmente ficará no Cruzeiro. Sem espaço no clube, o atacante pediu para ser negociado pela diretoria, que ainda aguarda propostas pelo jogador. Se isso não acontecer, uma possível saída é a rescisão de contrato. Jorge Machado, empresário do jogador, é aguardado em Belo Horizonte na semana que vem para discutir a possibilidade de dar fim ao vínculo do jogador com a agremiação, que vai até o fim de 2019.

Desde o fim do Brasileirão, o Cruzeiro passou a tratar o atacante como moeda de troca. Sem dinheiro sobrando para contratar reforços, a intenção da diretoria era de envolver o atleta em negociações que o ajudaria a se desligar do jogador e a trazer um novo nome para Minas Gerais. No entanto, Sóbis apenas despertou o interesse de algumas equipes como o Goiás, mas o Cruzeiro não chegou a receber nenhum contato oficial. Um dos possíveis entraves é o salário do atacante, de cerca de R$500 mil, considerado alto por muitos clubes.

No encontro de Jorge Machado com a diretoria celeste, as duas partes irão estudar um bom caminho para resolver o futuro do jogador. O pedido do atleta para ser negociado aconteceu após a goleada sobre o Vitória, no antepenúltimo compromisso do time no Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro utilizou o time reserva, mas Sóbis ficou no banco e não foi utilizado em nenhum momento. Nas duas rodadas seguintes, o atacante nem sequer ficou entre os suplentes.

Aos 33 anos, Sóbis atuou 37 vezes em 2018, mas somente 17 como titular. A maioria dessas partidas foi pelo Brasileiro, quando os principais jogadores eram poupados. Os números são bastante distintos de 2017, quando Sóbis fez 50 partidas, sendo 40 como titular, e terminou o ano como artilheiro da Copa do Brasil. Desta vez, a forte concorrência o deixou fora das principais decisões do ano.

Futebol