PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Vilão' em queda no Mundial, Enzo Pérez prova amor pelo River até no nome

Giuseppe Cacace/AFP
Imagem: Giuseppe Cacace/AFP

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

19/12/2018 04h00

Duas cobranças de pênalti desperdiçadas, um sonho perdido: Pity Martinez acertou o travessão no tempo normal, e Enzo Pérez chutou para defesa de Khalid na decisão por penalidades. Os dois se tornaram vilões nesta terça-feira (18), na eliminação do River Plate no Mundial, mas um deles carrega sua identificação com o clube até no nome.

O nome de Pérez foi uma homenagem de seu pai a Enzo Francescoli, ídolo uruguaio que defendeu o River em duas passagens (de 1983 a 1986, cujo fim coincidiu com o nascimento de Enzo, e novamente de 1994 a 1997) e foi campeão da Copa Libertadores em 1996.

"Jogar aqui é um sonho de família e dos meus amigos, quase todos fãs do River. Quero aproveitar que estou em casa", explicou Perez à "ESPN" da Argentina em 2017, quando assinou para defender o clube favorito de seus entes queridos.

enzo perez 2 - Paul Hanna/Reuters - Paul Hanna/Reuters
Imagem: Paul Hanna/Reuters

Não satisfeito em levar o nome do ídolo na identidade, Enzo não conseguiu conter seu fanatismo por Francescoli e decidiu colocar o nome do próprio filho como... Enzo Santiago.

Por outro lado, ao tatuar o nome do herdeiro, o jogador teve a ideia de usar apenas "Santiago" - segundo ele, para que ninguém pense que está homenageando a si mesmo.

"Quem também é doente [pelo River] é meu irmão, Franco. Quando sai uma música nova da torcida, ele escreve a letra em um pedaço de papel e canta todo dia", revelou, em 2010, à revista argentina "El Gráfico". Suas histórias mostram que o clube foi um alento emocional em anos difíceis.

Filho de um pedreiro, Enzo relatou sua infância a esta revista. "Eu tinha de mergulhar pedaços de pão duro na água, ou secar saquinhos de chá para usá-los no dia seguinte. Lembro-me de dormir com a barriga doendo de tão vazia", contou.

"Não tínhamos dinheiro para energia ou gás. A minha mãe pedia comida em padarias e bares. Meu pai teve de vender a aliança de casamento para nos alimentar. Passei duas semanas sem sair de casa por vergonha", lamentou.

enzo perez e enzo francescoli - divulgação/River Plate - divulgação/River Plate
Imagem: divulgação/River Plate

A realização do sonho de seu pai, Carlos Pérez, chegou ao ponto mais alto no último dia 9 de dezembro com a histórica vitória sobre o Boca Juniors, por 3 a 1, na final da Libertadores. O esforço valeu a pena ao ver o filho posar para foto com Francescoli e a taça no vestiário do River.

Antes mesmo do Mundial de Clubes, jornais europeus já especulavam que Enzo Pérez poderia deixar o River. Se isto parecia improvável antes, resta saber o que o fã de Francescoli fará depois de perder o pênalti que eliminou seu clube do coração.

Curiosamente, Enzo Francescoli também inspirou o nome do filho de Zidane.

Perto de despedida, Pity Martínez lamenta por travessão

pity martinez - Rodrigo Jimenez/EFE - Rodrigo Jimenez/EFE
Imagem: Rodrigo Jimenez/EFE

Se Pity Martínez tivesse convertido o pênalti aos 23 do segundo tempo, talvez levasse o River para a final do Mundial. No entanto, como se sabe, a história do futebol não se escreve com "se". Não há meia verdade: a despedida está próxima.

Afinal, Pity foi contratado pelo Atlanta United, dos Estados Unidos, e se juntará ao novo clube em janeiro de 2019. Depois que disputar o terceiro lugar do Mundial, no sábado (22), o River não terá mais partidas em 2018.

"É hora de dar um novo passo na minha carreira, e eu vi a liga norte-americana com bons olhos. Eles me mostraram uma montanha de possibilidades", disse Martínez após a final da Libertadores, em Madri, na qual fez gol e foi destaque.

Futebol