PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gabriel puxa fila de jogadores sem espaço que podem ressurgir com Carille

Gabriel e Clayson em treino do Corinthians; jogadores perdem espaço em 2018 - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Gabriel e Clayson em treino do Corinthians; jogadores perdem espaço em 2018 Imagem: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Arthur Sandes e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

11/12/2018 04h00

O retorno de Fábio Carille significa muito ao Corinthians e ainda mais para alguns jogadores do clube. Há no elenco quem era bastante utilizado pelo treinador, mas perdeu espaço ou caiu de produção desde que o chefe partiu para a Arábia Saudita em maio. Entre estes, estão Gabriel, Clayson e até Fagner, que podem esfregar as mãos na expectativa de render melhor sob comando do técnico.

Talvez o maior interessado seja Gabriel, que foi titular absoluto na campanha do título brasileiro em 2017. Ele era o dono da posição mesmo após a chegada de Ralf, que foi um pedido do treinador, mas a partir de agosto a dupla passou a revezar. Em outubro, Jair Ventura chegou a testar os dois juntos, e logo optou pelo veterano. O camisa 5 se incomodou com a condição de reserva, e uma saída para o futebol europeu não está descartada, mas "a chegada de Carille anima", nas palavras de alguém próximo a ele.

Clayson viveu ano parecido, apesar de nunca ter sido inquestionável. Em 2017, compôs elenco e frequentemente foi usado saindo do banco de reservas. Neste ano, o contrário: na maioria do tempo, foi o titular favorito a deixar o time ao longo das partidas e chegou a ser trocado em oito jogos seguidos com Carille. Aos poucos, perdeu a confiança de Jair Ventura e foi ultrapassado por Pedrinho e Mateus Vital no elenco. Por isso, a volta de antigo treinador pode lhe fazer bem.

Não é esta a condição de Fagner, que se mantém como um dos pilares do elenco independentemente do treinador. Mas o lateral caiu enormemente de produção no segundo semestre, assim como a defesa corintiana como um todo. Ainda que tenha tido quatro assistências no Campeonato Brasileiro, não foi o mesmo Fagner de 2017.

Mantuan foi outro que ganhou várias oportunidades no primeiro semestre, inclusive como titular em jogos decisivos do Paulistão e até em clássicos no Brasileirão. As chances continuaram com Osmar Loss mesmo com falha e choro dias após a saída de Carille, mas tornaram-se raras na era Jair Ventura: o jogador não foi relacionado uma vez sequer desde o meio de outubro.

Por último, Camacho abre o sorriso com a volta de Carille. Ele é um dos 18 emprestados que retornam ao Corinthians em 2019 e pode ganhar oportunidade com o treinador. O volante tinha bastante prestígio e era uma espécie de 12º jogador na campanha do Brasileirão de 2017: jogou 27 partidas, saindo do banco 18 vezes. Foi trocado por Sidcley em fevereiro porque havia uma profusão de atletas da posição no Alvinegro, que precisava de um lateral esquerdo. Agora, Camacho pode voltar a ter chance.

Fábio Carille só volta ao Brasil após o Natal, mas já comanda o planejamento do Corinthians para 2019 à distância. Nos próximos dias, o preparador físico Walmir Cruz e o observador técnico Mauro da Silva desembarcam para dar início ao projeto de forma presencial.

Futebol