PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem títulos, Fla vê escolha de presidente se transformar em "Copa do Mundo"

Lomba, Peruano, Landim e Vargas são candidatos à presidência do Flamengo - Gabriel Figueiredo/Blog Ser Flamengo
Lomba, Peruano, Landim e Vargas são candidatos à presidência do Flamengo Imagem: Gabriel Figueiredo/Blog Ser Flamengo

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/11/2018 04h00

O vice-campeonato brasileiro encerrou a gestão Eduardo Bandeira de Mello no Flamengo. Sem títulos de expressão no segundo mandato, o presidente está próximo de deixar o gabinete na sede da Gávea. Isso é sinal de que a eleição para a escolha do mandatário no triênio 2019-2020-2021 está próxima. O pleito, inclusive, se transformou em uma espécie de Copa do Mundo nos bastidores.

No dia 8 de dezembro, os associados irão às urnas para optar entre Ricardo Lomba (Chapa Rosa - Avança Mais, Flamengo), Rodolfo Landim (Chapa Roxa - Unidos pelo Flamengo), Marcelo Vargas (Chapa Branca - Fla Tradição e Juventude) e José Carlos Peruano (Chapa Amarela - Coração Valente).

A disputa para comandar o clube mais popular do país tem na ausência de bons resultados do futebol e na rivalidade entre as correntes políticas os principais pontos debatidos. A situação, liderada por Lomba, sofre ataques da oposição em cima dos erros da atual gestão e, ao mesmo tempo, tenta reunir alianças e votos para permanecer por mais três anos no poder.

A missão de Ricardo Lomba e seus pares, no entanto, não aparenta ser das mais simples. As pesquisas divulgadas até agora apontam superioridade de Rodolfo Landim no clube. É importante pontuar que nenhuma delas foi divulgada pela situação, que se considera forte na briga e costuma dizer que a eleição será decidida voto a voto.

Com tão pouco tempo para o pleito, as chapas buscam os últimos votos. Ligações para sócios e mensagens de texto são feitas diariamente. Para quem está atrás, a esperança é mudar o rumo de última hora. Aos líderes das pesquisas, a ideia é sustentar a vantagem e, se possível, ampliá-la.

Para quem vive os bastidores da Gávea, a certeza é uma só: em um cenário político tão conturbado, antecipar o resultado é considerado imprudência por todos os envolvidos. O fato é que a eleição ganhou um peso muito maior no clube pela rivalidade entre situação e oposição. O clima de Copa do Mundo, inclusive, mostra a importância de vencê-la.

Futebol