PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Nem o Real Madrid apostava que substituto de Marcelo daria certo. Mas deu

Sergio Reguilón chegou ao Real Madrid quanto tinha só oito anos - Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images
Sergio Reguilón chegou ao Real Madrid quanto tinha só oito anos Imagem: Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

23/11/2018 04h00

Relatórios detalhados chegam aos funcionários do Real Madrid responsáveis por acompanhar os talentos que são formados no clube. Quanto mais eles se aproximam da equipe principal, mais informações são fornecidas. Nos últimos anos, as análises indicavam que não havia nenhum lateral-esquerdo promissor para substituir Marcelo. Mesmo assim, um jogador conseguiu contrariar as avaliações e, contando com uma série de coincidências, virou titular de um dos maiores times do mundo.

Sergio Reguilón, de 21 anos, está desde os oito anos no Real Madrid. Passou por dez categorias de base que antecedem o Castilla, o último degrau antes do elenco profissional. Durante todo esse período, Reguilón era bem avaliado, e só. Não brilhou mais que os demais, não chamou muita atenção. Fazia o suficiente para ser promovido à categoria seguinte.

Aos 18 anos, o lateral estava prestes a fazer parte do Castilla quando soube que seria emprestado. O último passo para defender o Real Madrid foi trocado por uma passagem pelo Logroñés. O empréstimo durou seis meses, e ele, enfim, voltou para o Castilla. No entanto, um semestre depois, novamente o clube decidiu enviá-lo ao Logroñés.

Ao voltar para o Real Madrid, na temporada 2017-2018, Reguilón viu sua sorte mudar. Técnico do Real Castilla, Solari decidiu dar mais oportunidades para o lateral-esquerdo, que correspondeu. Com oito gols em 30 jogos, Reguilón ganhou a faixa de capitão e a confiança do comandante argentino.

Enquanto isso, no elenco principal, a lateral esquerda se tornou um problema para o então técnico Julen Lopetegui. Marcelo se machucou, Theo Hernández foi emprestado e nenhum reforço chegou para o setor. Reguilón, então, foi incorporado ao time principal e estreou no dia 2 de outubro, na Liga dos Campeões, em derrota para o CSKA, na Rússia.

O jovem lateral foi um plano B, já que Nacho era o substituto preferido de Lopetegui. O treinador, porém, foi demitido pouco depois e substituído por Solari. Era a coincidência que faltava para Reguilón.

Velho conhecido do treinador argentino, o lateral-esquerdo assumiu a lateral nas últimas partidas do Real. Foram quatro jogos como titular, ajudando nas quatro vitórias sobre Melilla, Valladolid, Viktoria Plzen e Celta.

Para quem sequer era realidade no Real Castilla, Reguilón viu o segundo semestre de 2018 transformar sua carreira. De discreto nos relatórios das categorias de base, ele ganhou a camisa 23 de um dos elencos mais famosos do mundo. E agora espera reeditar a parceria com Solari para brilhar na hora certa, na equipe principal do Real Madrid.

Futebol