PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ex-promessa uruguaia do Flu recorda divergência e alerta sobre Nacional-URU

Olivera teve poucos minutos com a camisa do time profissional do Fluminense - Bruno Haddad/Fluminense FC
Olivera teve poucos minutos com a camisa do time profissional do Fluminense Imagem: Bruno Haddad/Fluminense FC

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/10/2018 04h00

Com o status e o peso de ser chamado de "novo Conca", o uruguaio Bryan Oliveira chegou nas Laranjeiras em 2014 ainda como uma promessa para as divisões de base no clube.

Após três anos no Rio de Janeiro, a expectativa depositada em seu futebol foi diametralmente oposta ao tempo dentro de campo entre os profissionais. Com apenas alguns minutos disputados em um amistoso na Florida Cup, foi emprestado para Los Angeles Galaxy, Ottawa Fury, e posteriormente dispensado sem muita cerimônia.

De volta ao país natal, Olivera retoma a sua trajetória no Fénix, da Primeira Divisão do Uruguai. Apesar da distância, os anos na Cidade Maravilhosa seguem vivos na memória deste americano de nascimento, que conheceu a jornalista Mariana Cardoso, sua esposa, durante o tempo em que viveu no Brasil. Mesmo que na torcida por amigos como Igor Julião e Pablo Dyego, ele deixa escapar uma pontinha de tristeza com a passagem sem o brilho esperado.

Bryan - Divulgação/Fénix - Divulgação/Fénix
Bryan Olivera em ação pelo Fénix
Imagem: Divulgação/Fénix

"O Rio me recebeu muito bem, não tive problema quanto à adaptação. Aprendi o idioma muito rápido e fiz grandes amizades até o dia de hoje. Minhas divergências com o clube começaram depois que subi para o profissional, em 2015, e não fui aproveitado como acordado. Nunca entendi o motivo, mas sabia que era uma decisão da diretoria. Em 2017, houve a proposta de renovação do meu contrato, mas, descontente com a minha situação, optei por seguir minha carreira em outra equipe", disse o uruguaio ao UOL Esporte.

Desde que começou sua caminhada no clube branco e roxo de Montevidéu, Oliveira já encarou o Nacional duas vezes. Adversário desta quarta-feira do Flu, a equipe é uma das mais fortes do país vizinho. Conhecido pelo apelido de "Rusito", o apoiador vê o futebol de seu país como uma excelente vitrine. Para ele, o Tricolor tem de estar muito alerta para o duelo decisivo, já que suas impressões sobre o adversário são para lá de positivas.

"O Nacional é um time com jogadores de muita qualidade e muita experiência, isso ficou demonstrado no jogo de ida. Um jogador que chama muito a atenção é o Oliva, o motor do time no meio. Na frente, o Bergessio está sempre bem posicionado na área, é um grande goleador. É um time que gosta de ter a bola, não creio que eles recuarão", analisou o jovem de 24 anos.

Na última passagem tricolor pelo Uruguai, Olivera visitou os seus ex-companheiros no hotel, saiu de lá com uma camisa do Fluminense e ingressos para o jogo contra o Defensor. Dessa vez, ele crê que não conseguirá rever os ex-companheiros, mas garantiu: o Flu terá um torcedor a mais na noite de quarta.

Flu na área

Flu no Uruguai - Daniel Macri - Daniel Macri
Imagem: Daniel Macri

O Fluminense já treinou no Uruguai e recebeu o carinho de integrantes da Fluruguay, torcida formada por tricolores do país vizinho. Nesta terça, a equipe de Marcelo Oliveira reconhece o gramado do Parque Central antes de fazer sua última atividade antes da decisão.

Futebol