PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ex-colega de Zidane é uma das opções para seguir seus passos e assumir Real

Koichi Kamoshida/Getty Images
Imagem: Koichi Kamoshida/Getty Images

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

26/10/2018 04h00

Enquanto Julen Lopetegui é pressionado por boa parte da torcida do Real Madrid, a imprensa espanhola já especula sobre o suposto favorito do clube merengue para substitui-lo no comando do time principal. Trata-se de um velho conhecido de Zidane, que, se escolhido, estaria refazendo os passos do ídolo dentro do clube.

Santiago Solari atualmente treina a equipe B do Real, o Castilla, e foi jogador merengue entre 2000 e 2005; em outras palavras, foi contemporâneo de Zidane. A jogada de um dos mais importantes gols do ídolo francês com a camisa do Real, na final da Liga dos Campeões 2001/2002, foi iniciada pelo meia Solari.

Os times que o argentino treina são agressivos no ataque, alternando entre os esquemas táticos 4-2-3-1 ou 4-1-4-1. É evidente que Solari tem muito menos fama e honrarias que Zidane, mas não parece intimidado pelas especulações que o apontam como futuro técnico do time.

"Sou treinador do Castilla. Como todos os outros profissionais, estou aqui para apoiar o clube nos bons e, é claro, nos maus momentos", disse Solari à imprensa local, apesar de lembrar que os rumores nem sempre condizem com a realidade.

"O mundo do Twitter anda muito mais rápido que o mundo real", brincou, aos risos, o argentino de 42 anos. Ele tenta minimizar, mas os rumores não se resumem às redes sociais e já circulam pelos principais jornais europeus. "The Guardian", da Inglaterra, aponta que ele já poderia substituir Lopetegui no clássico de domingo, contra o Barcelona, no Camp Nou.

solari - Koichi Kamoshida/Getty Images - Koichi Kamoshida/Getty Images
Imagem: Koichi Kamoshida/Getty Images

Em janeiro de 2016, após a demissão de Rafa Benítez, Zidane foi anunciado como comandante do time principal do Real Madrid em um momento de instabilidade que quase se assemelhava ao atual.

Naquele momento, a equipe estava na terceira posição do Campeonato Espanhol, com quatro pontos a menos que o Atlético de Madri, que liderava. Já tinha se classificado no primeiro lugar do grupo A da Liga dos Campeões, e se preparava para encarar a Roma nas oitavas.

Atualmente, o clube é apenas o sétimo na tabela nacional, enquanto vê o rival Barcelona na ponta; na Champions League, está em segundo no grupo G e tem sido criticado pelo nível das atuações. Quem viu o triunfo por 2 a 1 sobre o Viktoria Plzen ouviu vaias: "Viktoria e nada mais", publicou o "Marca", jornal de Madri.

Ou seja, se Lopetegui não resistir à pressão, seu substituto pode encontrar turbulência ainda maior que a que Zidane encarou em 2016. Apontado como possível solução "caseira", Solari conhece os métodos do clube e já trabalha nos times de base do Real há cinco anos.

No complexo esportivo em que treina a equipe merengue, ele é descrito como "um homem da casa". O que se diz por lá, de acordo com os jornais espanhóis, é que ele impressiona pela vontade que sempre teve de aprender.

A família Solari tem tradição na beira do gramado. O pai de Santiago, Eduardo Solari, foi técnico dos argentinos Estudiantes e Vélez Sarsfield. Seu tio, Jorge Solari, comandou Newell's Old Boys e Independiente.

Para fechar este currículo com chave de ouro, Santiago Solari também é primo de Fernando Redondo, ex-volante do Real Madrid que foi eleito jogador do ano pela Uefa em 2000 e até hoje é visto como um dos melhores da posição em todos os tempos.

Seu principal comandado no time B do Real Madrid é, inevitavelmente, Vinicius Junior. A parceria entre os dois tem funcionado: nesta semana, o brasileiro marcou no empate por 1 a 1 com o Celta de Vigo, embora tenha sido expulso por reclamação logo na sequência.

Futebol