PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gallo sofre pressão, mas mantém prestígio e faz projeto 2019 do Atlético-MG

Alexandre Gallo, diretor de futebol do Atlético-MG, participa ativamente do projeto 2019 do clube - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Alexandre Gallo, diretor de futebol do Atlético-MG, participa ativamente do projeto 2019 do clube Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/10/2018 04h00

Homem de confiança do presidente Sérgio Sette Câmara no Atlético-MG, o diretor de futebol Alexandre Gallo sofre pressão da torcida e passou a ser contestado por parte do conselho deliberativo.

Na última sexta-feira, dia seguinte à apresentação de Levir Culpi como novo técnico, o dirigente foi alvo de um protesto na sede administrativa, em Lourdes. Alguns torcedores foram ao local para se queixar da gestão de Gallo à frente do esporte no clube. O mandatário Sérgio Sette Câmara também foi contestado, mas em menor escala.

Responsável pela montagem do elenco e com carta branca para fazer contratações, o diretor de futebol se ausentou de uma negociação pela primeira vez na última semana. Sette Câmara foi a Curitiba acompanhado do vice-presidente Lásaro Cândido Cunha para acertar a chegada de Levir Culpi. O executivo permaneceu em Belo Horizonte com os atletas e o então técnico Thiago Larghi. Ele foi o responsável por comunicar a demissão ao ex-treinador da equipe mineira.

Prestigiado e com respaldo do presidente, Gallo se ausentou da negociação com Levir Culpi para tratar a demissão de Thiago Larghi no mesmo dia. A ideia era ter alguém para conversar pessoalmente com o antigo comandante do clube mineiro.

Os grandes questionamentos a Gallo são feitos externamente. Há quem o critique no conselho deliberativo, sobretudo o opositor Fabiano Lopes Ferreira. A boa relação de Câmara com os conselheiros faz com que a pressão seja reduzida nos bastidores. O atual mandatário é amigo de boa parte dos associados.

Por outro lado, fora do clube, a situação não é tão tranquila para Alexandre Gallo. O diretor escuta constantes questionamentos por parte dos torcedores. No último jogo do time como mandante - o empate com o América-MG em 0 a 0 no Independência -, o diretor de futebol escutou manifestações contrárias ao seu trabalho vindas das cadeiras do local.

Na última sexta-feira, um protesto foi feito na porta da sede administrativa do clube e há previsão para novas manifestações.

Apesar de tudo isso, o diretor de futebol segue prestigiado pela diretoria. Ele, inclusive, já entregou o planejamento para 2019 ao presidente Sérgio Sette Câmara. A dupla conta com Levir Culpi no comando técnico e promete buscar grandes reforços. O meio de campo e a defesa são tidos como prioridade.

Futebol