PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro planeja quatro reforços e já quer iniciar planejamento com Mano

Previsão da diretoria é começar as reuniões com Mano para definir planejamento de 2019 - Divulgação/Cruzeiro
Previsão da diretoria é começar as reuniões com Mano para definir planejamento de 2019 Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

23/10/2018 04h00

Dentro de campo, o ano do Cruzeiro ainda não acabou, mas fora dele o clube já se planeja para 2019. Mesmo que o Campeonato Brasileiro ainda esteja em andamento, o título da Copa do Brasil e a vaga na próxima Libertadores dão mais conforto para a diretoria começar a pensar na próxima temporada. A partir de agora, Mano Menezes passará a dividir os treinos do time com as reuniões na Toca da Raposa. Em pauta, o que mudar para continuar entre os favoritos e possíveis alvos no mercado, já que o clube pensa em contratar ao menos quatro reforços.

Itair Machado, vice-presidente de futebol do Cruzeiro, já informou que a diretoria deve começar a sentar com Mano para discutir a montagem do plantel do ano que vem. É claro que a cúpula está ciente da possibilidade de receber alguma boa oferta e precisar se desfazer de jogadores importantes. Contudo, a ideia do cartola é de contar com pelo menos quatro novos atletas mesmo em caso de eventuais baixas.

Na última semana, Itair concedeu uma entrevista à Rádio 98 FM, de Belo Horizonte, e citou dois nomes do seu interesse. O primeiro é Gabriel, o Gabigol, hoje no Santos, mas emprestado pela Inter de Milão. O segundo é Bruno Henrique, também do Santos. Em sua entrevista no último domingo, Mano mostrou pessimismo com a situação. Para ele, "não vai dar peixe".

"Quando a gente fala abertamente, é porque não tem chance de acontecer. Quando tem chance, a gente guarda segredo para a negociação ser bem feita, bem executada. Quando começa a citar alguns nomes, eu já boto minhas barbas de molho, porque sei que aí não vai dar peixe", disse.

Apesar de o clube não revelar quais posições irá priorizar, é possível que um desses reforços seja um atacante que atua pelos lados. Outras peças poderão chegar para fortalecer o elenco. Por exemplo para a lateral-esquerda, já quando Egídio ficou suspenso na final da Copa do Brasil, Lucas Romero atuou improvisado no setor mesmo com Marcelo Hermes e Patrick Brey à disposição. O mesmo vale para o lado oposto, já que Ezequiel permaneceu fora mesmo quando Edilson se ausentou.

Certo é que a futura verba a ser utilizada para contratar novos jogadores virá de outras formas de receita, mas não da premiação milionária da Copa do Brasil. Com o montante recebido pelo título, a diretoria vai pagar o "bicho" aos jogadores e cumprir com todas as obrigações do fim do ano, como o 13º dos atletas.

Futebol