PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corinthians tem parte da premiação da Copa do Brasil bloqueada por dívida

Corinthians admite dívida com Instituto Santanense, que pede quantia de R$ 2,48 milhões - Reprodução/Wikipedia
Corinthians admite dívida com Instituto Santanense, que pede quantia de R$ 2,48 milhões Imagem: Reprodução/Wikipedia

Diego Salgado e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

22/10/2018 17h51

A Justiça de São Paulo determinou na última quinta-feira o bloqueio de parte da premiação recebida pelo Corinthians após o vice da Copa do Brasil. O pedido foi feito pelo Instituto Santanense de Ensino Superior, que pede o recebimento de R$ 2,48 milhões - o clube paulista recebeu R$ 20 milhões pelo segundo lugar na competição.

A informação foi divulgada inicialmente pela ESPN e confirmada pela reportagem do UOL Esporte. Em agosto, o  Instituto Santanense, que mantém a UniSant'Anna, já havia pedido o bloqueio de bens do clube depois de o meia Rodriguinho ter sido vendido ao Pyramids, do Egito.

"Considerando que o Executado, até o momento, não adimpliu seu débito, requer seja determinada com urgência a penhora do valor correspondente à premiação da Copa do Brasil, recebida da CBF, até o limite acima citado", diz trecho do pedido do Instituto Santanense, que alega que o clube descumpriu um acordo em 2008.

O Corinthians se manifestou em nota divulgada pela assessoria de imprensa. Segundo o clube, admite que existe uma dívida com o Instituto e frisou que o "valor líquido ainda se encontra em fase de discussão judicial".

A diretoria corintiana ainda ressaltou que foi realizada audiência de tentativa de conciliação no dia 3 de setembro, mas, de acordo com a nota, "as partes não chegaram a um consenso sobre o valor devido, ante o valor excessivo sustentado pelo Instituto, acima de 4 milhões de reais".

Confira a nota na íntegra:

O Sport Club Corinthians Paulista esclarece que existe uma dívida perante o Instituto Santanense de Ensino Superior cujo valor líquido ainda se encontra em fase de discussão judicial. Conforme informado pelo Diretor Jurídico do Corinthians, Fabio Trubilhano, foi realizada audiência de tentativa de conciliação em 03 de setembro de 2018, porém as partes não chegaram a um consenso sobre o valor devido, ante o valor excessivo sustentado pelo Instituto, acima de 4 milhões de reais.  No último dia 17, o Instituto retificou o valor devido para R$ 2.485.952, 11 e solicitou que tal valor fosse bloqueado da premiação da Copa do Brasil, a ser recebida pelo clube.  O Corinthians informa a existência de ação monitória transitada em julgado, em fase de cumprimento de sentença – autos n.º 0059215-68.2018.8.26.0100, junto à 13.ª Vara Cível do Foro Central da Capital –, na qual possui crédito perante a mesma instituição no valor aproximado de R$ 1.200.000,00, cujo montante pretende seja compensado. A agremiação tomará todas as medidas judiciais cabíveis para que se defina corretamente o valor devido e para que ocorra, dentro das possibilidades financeiras do clube, o adimplemento de suas obrigações.

Futebol