PUBLICIDADE
Topo

Futebol

STJD multa Atlético-PR por ato político em jogo contra América-MG

REINALDO REGINATO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: REINALDO REGINATO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

19/10/2018 18h09

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) multou o Atlético-PR pelo ato político antes do jogo contra o América-MG, dia 6 de outubro, um dia antes do primeiro turno das Eleições 2018. Os jogadores do Furacão entraram em campo com uma camisa com a mensagem "Vamos todos juntos por amor ao Brasil", exceto o zagueiro Paulo André. O ato foi feito à revelia da CBF, que foi consultada fora do prazo legal dado para a realização de ações no ambiente de jogo e orientou que o Atlético não fizesse a ação.

A multa de R$ 70 mil foi aplicada pelo descumprimento do Regulamento Geral de Competições (RGC) e ainda cabe recurso. O valor da pena máxima chegaria a R$ 100 mil. Os auditores alegaram que o clube era reincidente no descumprimento ao RGC - antes, o Atlético promoveu uma ação de marketing com a empresa UBER, quando o goleiro Santos usou um celular no campo de jogo, pouco antes da partida contra o Atlético-MG.

O fato de o ato ser relacionado com a campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi citado indiretamente pelos julgadores. O auditor José Nascimento afirmou que "A norma pede autorização e essa autorização foi negada. Embora tenha uma opinião de louvar a conduta do clube em relação a sua intenção, temos que ter em mente que pessoas estão morrendo por questões políticas. Não posso entender que aquela manifestação política é boa e correta".

Presidente do Conselho Deliberativo do Furacão, Mario Celso Petraglia tem manifestado apoio constante à Bolsonaro em suas redes sociais. Já o zagueiro Paulo André, que não exibiu publicamente a camisa, assinou o manifesto Democracia Sim, que condena posturas do presidenciável ao longo dos 28 anos de exercício parlamentar.

Futebol