PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Guerrero entra na Justiça Suíça com pedido de nulidade de decisão do CAS

Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Do UOL, em Porto Alegre

19/10/2018 09h46

A defesa de Paolo Guerrero segue tentando liberação do centroavante, punido por doping e afastado dos treinos do Internacional desde agosto. De acordo com os advogados do peruano, na última terça-feira houve entrega de uma apelação ao Tribunal Federal Suíço com pedido de nulidade à decisão da Corte Arbitral do Esporte, órgão que definiu o tempo de suspensão do jogador após exame indicar substâncias proibidas pela autoridade mundial antidopagem.

De acordo com os advogados de Guerrero, o Tribunal Federal da Suíça deve se manifestar sobre o pedido de nulidade nas próximas semanas. Em Porto Alegre, o Inter evita criar expectativa e nos bastidores é cético quanto a possibilidade de liberação agora.

"Paolo Guerrero continua na luta, esgotando todos os recursos para alcançar a justiça. E nessa linha, ele aprecia o apoio de sua família, do Inter de Porto Alegre e cada um dos torcedores que prestam apoio e carinho", diz trecho de nota oficial divulgada pela defesa do peruano.

No início de outubro, o Tribunal Federal Suíço rejeitou pedido de efeito suspensivo e manteve a punição de Guerrero. Com isso, o Internacional passou a projetar o retorno do centroavante somente em 2019. A punição, se não for reduzida, se encerra em abril.

Confira nota oficial na íntegra

Os advogados de Paolo Guerrero apresentaram nesta terça-feira 17 de outubro, diante do Tribunal Federal Suíço (TFS) a apelação com pedido de nulidade da decisão do Tribunal Arbitral do Esporte - TAS.

Essa nova medida ante o TFS é uma oportunidade para que as autoridades façam justiça e corrijam a decisão evidentemente nula.

O TFS deverá se pronunciar nas próximas semanas, depois de ter permitido pronunciamento de todos os envolvidos.

Paolo Guerrero continua na luta, esgotando todos os recursos para alcançar a justiça. E nessa linha, ele aprecia o apoio de sua família, do Inter de Porto Alegre e cada um dos torcedores que prestam apoio e carinho.

Entenda o caso

Guerrero foi julgado e punido pela Fifa com um ano de afastamento por conta de um teste positivo de doping para substância benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína e da folha de coca. O exame foi feito após a partida entre Peru e Argentina em Buenos Aires, válida pelas Eliminatórias para Copa do Mundo, disputada em outubro de 2017.

Em seguida, entrou com recurso por meio do Comitê de Apelações da entidade e reduziu a pena, em um primeiro momento, para seis meses. Em maio, porém, o caso foi à Corte Arbitral do Esporte (CAS), que aplicou 14 meses de suspensão. Guerrero foi buscar seus direitos além do âmbito esportivo e conseguiu efeito suspensivo no Tribunal Federal Suíço no fim do mesmo mês.

Com a liberação provisória, atuou pelo Peru na Copa do Mundo e, desde o regresso do Mundial, jogou mais quatro partidas pelo Flamengo. Em seguida, foi contratado pelo Internacional e tinha estreia marcada para o jogo contra o Palmeiras. No entanto, viu cair a liminar que o liberava para atuar e voltou a estar proibido de qualquer atividade como profissional do futebol.

O vínculo de Guerrero esteve, desde então, suspenso. Sem pagar salários, como previsto no acordo, o Internacional ainda poderá ampliar o contrato do atleta em tempo correspondente ao período de afastamento.

Futebol