PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Lomba recebe aval, mas é impedido de tomar posse se ganhar eleição do Fla

O candidato Ricardo Lomba (centro) enfrenta problemas na eleição do Flamengo - Vinicius Castro/UOL
O candidato Ricardo Lomba (centro) enfrenta problemas na eleição do Flamengo Imagem: Vinicius Castro/UOL

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/10/2018 22h37

A Comissão Eleitoral validou nesta quinta-feira (18) a candidatura do atual vice de futebol Ricardo Lomba à presidência do Flamengo. A decisão será oficializada no decorrer da sexta-feira (19), mas a reportagem do UOL Esporte apurou que os integrantes acataram o parecer da Comissão Jurídica sobre a ocupação profissional do candidato. Ficou definido que o dirigente pode concorrer ao cargo, no entanto, possui um impedimento legal caso seja eleito no dia 8 de dezembro.

Desta forma, Ricardo Lomba - se vencer o pleito - só poderá tomar posse como presidente do Flamengo com a licença do cargo na Receita Federal. Cabe recurso ao plenário do Conselho de Administração - julgamento em 6 de novembro. Em paralelo, a chapa da situação já trabalha para levar a questão à Justiça. Caso não se licencie, o candidato terá poderes restritos como mandatário. Por exemplo, não poderá representar o clube em repartições públicas e outros. Ficou entendido que a presidência seria precária. Por sua vez, Lomba já reafirmou que não abandonará o trabalho, já que dele tira o sustento da família.

A impugnação da candidatura foi discutida em razão da ocupação profissional de Lomba. Auditor Fiscal da Receita Federal, o atual vice-presidente de futebol, de acordo com avaliação dos responsáveis pelo caso, esbarra na Lei Federal 8112. O artigo 117 (inciso 10) dispõe que é proibido ao servidor público federal participar de gerência ou administração de sociedade privada, de forma que não seria possível acumular a presidência do Flamengo.

Os integrantes da Comissão Jurídica entenderam que o Rubro-negro está obrigado a cumprir as normas estatutárias e também a Lei 8112. Feito isso, definiram que Ricardo Lomba pode seguir com a candidatura, fazer campanha e até ser eleito pelos sócios. Mas, caso aconteça a vitória nas urnas, precisará se licenciar do serviço público para comandar o Flamengo no triênio 2019-2020-2021.

Lomba é vice-presidente de futebol do Rubro-negro e candidato de Eduardo Bandeira de Mello ao cargo. Os bastidores do clube fervilham em razão do pleito e estão recheados com trocas de acusações. A eleição do Flamengo terá quatro candidatos: Ricardo Lomba (Avança Mais, Flamengo), Rodolfo Landim (Unidos pelo Flamengo), Marcelo Vargas (Fla Tradição e Juventude) e José Carlos Peruano (Coração Valente).

Futebol