PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após detenção, Régis diz não ser bandido e repete frase célebre de Adriano

Do UOL, em São Paulo

18/10/2018 14h31

O lateral-direito Régis, ex-São Paulo, publicou um texto em sua conta no Instagram um dia depois de ser noticiado que ele foi detido pela Polícia Militar, em Brasília, por perturbação da tranquilidade, ameaça e violação de domicílio.

O jogador agradeceu o período que passou no São Paulo. No início deste mês, o atleta havia rescindido o contrato com o Tricolor por causa de problemas pessoais. Régis também falou que não é criminoso.

"Não poderia deixar de agradecer ao São Paulo pelo suporte que me deu no período em que estive no clube. Porém, algumas atitudes desrespeitosas que violaram e desrespeitaram minha imagem me deixaram muito decepcionado, não da parte do clube, mas de pessoas que estão completamente envolvidas com o futebol nacional que não tiveram o mínimo de respeito pela minha pessoa. Erros ocorreram? Sim, ocorreram, mas isso não dá o direito de me exporem da maneira como foi feito e tem sido feito", disse Régis, que ainda repetiu a célebre frase de Adriano Imperador: "Que Deus perdoe essas pessoas ruins".

"Recentemente, também tem saído coisas mentirosas como se eu fosse um criminoso e disso nunca compactuei, porque sempre fui um atleta dedicado e profissional dentro de qualquer clube que fui, mas só resta lamentar e pedir que Deus perdoe essas pessoas ruins", acrescentou.

Após ser detido pela polícia, o jogador assinou um termo circunstanciado e acabou sendo liberado. Segundo o boletim policial, por volta das 10h30 desta segunda-feira (15), foi acionada a ocorrência em um edifício residencial localizado, em Samambaia, no Distrito Federal. No local, encontraram Régis que, visivelmente transtornado e bastante nervoso, tentava invadir um apartamento a procura de sua vizinha, que já havia deixado o local.

O lateral tinha vínculo com o clube até abril de 2019. Contratado em abril deste ano após se destacar pelo São Bento, no Campeonato Paulista, ele já ficou afastado do Morumbi entre junho e julho por problemas pessoais. Desta vez, o clube considerou melhor tirá-lo do elenco, pois a inconstância do jogador no trabalho acabava atrapalhando o dia a dia da equipe.

Os problemas particulares são considerados graves, e o São Paulo prestou toda ajuda necessária durante o primeiro período de afastamento. O atleta voltou a treinar aos poucos, recuperou a forma física afetada pela parada e até conseguiu voltar a jogar em bom nível, inclusive sendo decisivo para o time buscar empate por 1 a 1 com o Fluminense no Morumbi, com um jogador a menos.

Futebol