PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mourinho decide que Pogba não será mais capitão do United, diz site

Nesta temporada, Pogba foi o capitão do United durante as ausências de Antonio Valencia - Matthew Childs/Reuters
Nesta temporada, Pogba foi o capitão do United durante as ausências de Antonio Valencia Imagem: Matthew Childs/Reuters

Do UOL, em São Paulo

25/09/2018 14h46

Dois dias depois de Paul Pogba criticar a falta de ofensividade do Manchester United jogando no Old Trafford, o técnico José Mourinho avisou que o jogador nunca mais usará a braçadeira de capitão enquanto ele comandar a equipe.

De acordo com a ESPN inglesa, a decisão foi comunicada aos jogadores nesta terça-feira (25), no centro de treinamento do clube, em Carrington. Em meio a atritos com alguns jogadores, a medida tem como objetivo reafirmar a autoridade do português sobre o elenco.

O primeiro capitão da equipe é o lateral direito equatoriano Antonio Valencia. No entanto, em sua ausência, Pogba foi o escolhido para liderar a equipe. Nesta temporada, ele já havia usado a braçadeira em três oportunidades.

O último atrito público entre Pogba e Mourinho foi no sábado (23), após o empate por 1 a 1 entre United e Wolverhampton, no Old Trafford. Ao fim da partida, o francês declarou que, por jogar em casa, o time "deve jogar muito melhor". "Estamos no Old Trafford e devemos atacar e pressionar, como fizemos na temporada passada contra Tottenham, Liverpool, Chelsea ou Arsenal", afirmou Pogba.

Ele, contudo, não soube explicar porque a equipe adotou uma postura conservadora. "Não posso responder a isso, não sou o técnico."

Logo depois da conquista da Copa do Mundo com a França, Pogba foi especulado em uma possível negociação com o Barcelona. Segundo jornais europeus, apesar do desejo do jogador, o negócio só não foi concretizado porque a direção da equipe inglesa se recusou a ouvir ofertas.

Em meio às manchetes de que quer deixar Manchester, Pogba respondeu que não tem relação com as especulações. Ainda segundo a ESPN inglesa, em publicação no começo de setembro, tanto o francês quanto seu agente, Mino Raiola, não irão forçar uma saída na janela de transferências do inverno europeu, em janeiro. A dupla, por outro lado, não garante a permanência caso o Barcelona volte a demonstrar interesse ao fim da atual temporada. 

Futebol