PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cuca nega ter pedido desculpas a Peres e cita até Luxa para melhorar CT

Técnico Cuca e presidente José Carlos Peres não falam a "mesma língua" no Santos  - Ivan Storti/SantosFC
Técnico Cuca e presidente José Carlos Peres não falam a "mesma língua" no Santos Imagem: Ivan Storti/SantosFC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

31/08/2018 12h29

O clima segue quente entre o técnico Cuca e o presidente José Carlos Peres. O treinador negou que tenha se retratado das críticas em relação a falta de profissionalismo no clube, como disse o dirigente em entrevista na Federação Paulista de Futebol (FPF) na última quinta-feira (30).

Cuca, inclusive, deixou claro que não vai e nem precisa pedir desculpas sobre o desabafo que fez após a eliminação do Santos na Copa Libertadores da América. Vale lembrar que o time foi eliminado por escalar o volante Carlos Sánchez de forma irregular contra o Independente, na Argentina.

“Eu não fiz críticas, fui perguntado por um colega de vocês sobre o tema. Se faltava (profissionalismo). Disse que faltava e poderia melhorar e muito. Não tenho que pedir desculpas de nada se é sentimento meu. Tenho que tentar melhorar o clube que trabalho em todas as partes, principalmente em campo. Conversei com o presidente hoje (sexta-feira) pela manhã, não quis ofender ninguém. É um sentimento que tenho de melhorar. Não é crítica a A, B ou C. Eu também sou profissional e devo melhorar”, afirmou Cuca.

“Não pedi desculpa. [Faria] Se precisasse, assim como [fiz] com a Polícia Militar, que realmente errei. Quero cuidar do campo, ele está certíssimo no que diz. Vou cuidar da parte técnica”, disse.

Cuca também confirmou que o CT Rei Pelé precisa de melhoras, como revelou o UOL Esporte nesta sexta-feira. O atual treinador lembrou que Vanderlei Luxemburgo ajudou bastante na construção do CT e que cabe a ele, como profissional, colaborar para a melhora do local.

Após o desabafo de Cuca na última terça-feira, atletas e profissionais revelaram diversos problemas de estrutura e profissionalismo no CT Rei Pelé.

“Cabe a mim, sou profissional da área, tenho experiência. Não é só no campo. Esse CT teve muita ajuda do Luxemburgo quando foi feito. E não foi de valia? Não é só dentro de campo. Vou ajudar de forma interna. Só respondi a uma pergunta de um colega”, disse Cuca.

Cuca fez questão de dizer que só conversou com Peres na manhã desta sexta-feira. Vale lembrar que o Santos cancelou uma coletiva conjunta entre o presidente e o treinador anunciada para a última quarta-feira. A assessoria alegou que o mandatário ficou “preso” no trânsito, mas há quem diga que o técnico não quis falar.

Peres, por sua vez, tentou colocar "panos quentes" na confusão em entrevista na Federação Paulista de Futebol. “Toda crítica construtiva é benéfica, eu concordo que o clube precisa se profissionalizar. Isso custa caro, custa impeachment, custa tudo. Quem está sendo prejudicado corre atrás. O único beneficiado na gestão é o Santos", comentou o dirigente.

"Não podem negar minha lisura, não há dolo, empresários mandavam no clube. Ganharam muito dinheiro, alguns R$ 27 milhões direta ou indiretamente. Nosso medo é que chegue no técnico, mas acho que não é isso que aconteceu. Estava nervoso, reconheceu o erro. Ricardo Gomes deu entrevista na mesma linha. Há coisas que se falam publicamente e coisas no privado. Vou captar isso para melhorar. Gosto de ser afrontado. Bom gestor tem que ser afrontado. Me chama a quatro paredes, diz que está errado e eu vou explicar ou concordar. Tenho humildade”, completou Peres.

Futebol