PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Embaixador de clube e bijuteria: Gomes define aposentadoria e revela planos

LEE SMITH/Action Images via Reuters
Imagem: LEE SMITH/Action Images via Reuters

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Manchester (ING)

25/08/2018 04h00

Ex-seleção, goleiro da Tríplice Coroa do Cruzeiro e segundo brasileiro com mais jogos na Premier League (195), Gomes decidiu se aposentar ao fim da temporada inglesa, em maio de 2019. Na reserva do Watford, o experiente jogador completará 38 anos em fevereiro e se vê preparado para deixar os gramados, com planos encaminhados para a nova fase.

“Eu me sinto bem, mas é uma decisão que já estou amadurecendo há algum tempo e venho me preparando em todos os sentidos. Não quero me aposentar ladeira a baixo, meu objetivo é parar bem fisicamente em um nível bom, na Premier League e num clube bacana e organizado como o Watford”, declarou ao UOL Esporte. “Estou pronto mentalmente e espiritualmente para essa transição, e tenho organizado a minha vida fora do futebol também.  Preciso saber o que vou fazer, porque as contas vão continuar. Se você não estiver preparado, você fica louco”.

O veterano cogita a possibilidade de exercer um cargo administrativo no futebol, e o clube londrino já o convidou para permanecer na capital, com função a ser definida – a de embaixador é uma possibilidade. Com passaporte britânico e a família muito bem estabelecida na cidade, a opção agrada a Gomes. No entanto, o perfil bem diferente do estereótipo de boleiro o levou a investir em um comércio em Campo Grande (MS), cidade da família da esposa Flavia, e o sucesso da empresa deve fazê-lo voltar ao Brasil com mais frequência.

“Em setembro abriremos a nossa segunda loja de bijuterias e acessórios para mulheres. É algo que não imaginava, só que eu precisava de algo novo para me envolver. Entrei no negócio e estou gostando muito.”

Natural de João Pinheiro, no interior de Minas Gerais, Gomes deu os primeiros passos no Democrata, de Sete Lagoas, antes de se transferir para o Cruzeiro. Em Belo Horizonte, era o dono da meta do time comandado por Vanderlei Luxemburgo que faturou a Tríplice Coroa em 2003, com show de Alex, Aristizábal e cia. O desempenho com as cores do Cruzeiro rendeu convocação para a seleção brasileira.

Campeão da Copa das Confederações de 2005 e 2009, ele era a segunda opção de Dunga para o gol do Brasil na Copa da África do Sul, em 2010, atrás de Julio Cesar.

“Claro que a seleção brasileira marcou a minha carreira, mas não posso falar em momentos inesquecíveis, mas das pessoas que me ajudaram nesse tempo, desde quando comecei no Democrata, onde o técnico me treinava porque não tinha treinador de goleiros, até a última pessoa que vai me ajudar no Watford.”

Gomes na seleção - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images
O goleiro admitiu, em entrevista ao UOL Esporte em 2017, que Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, desdenhava de nomes menos renomados no vestiário da seleção, a ponto de ignorá-los.

“Ele nunca pegou na minha mão, só ia nos tops. Dá para ver a índole do cara nesses detalhes. Eles diferenciavam os jogadores. Não eram de todos que eles apertavam a mão. Isso é feio. Por ser presidente, ele deveria ter sido respeitoso com todo mundo. Eu via ele por perto, mas se eu estivesse sentado ao lado do Kaká, ele cumprimentava o Kaká e me ignoraria.”

Gomes pendurará as chuteiras e as luvas 15 anos depois de desembarcar no futebol europeu. Em 2004 foi contratado pelo PSV-HOL, onde se sagrou tetracampeão holandês, além de um título da Copa nacional. Na sequência, transferiu-se para o Tottenham, onde atuou por seis temporadas, antes de um breve empréstimo ao Hoffenheim-ALE.

No Watford há quatro anos, teve papel importante na volta do clube à Primeira Divisão do Campeonato Inglês, em 2015, e na estabilidade do time na elite desde então. Na última temporada, auxiliou Richarlison na chegada à Premier League, antes do pupilo ser contratado pelo Everton por R$ 245 milhões. Enquanto isso, virou reserva com o técnico espanhol Javi Garcia, contratado em janeiro, e viu o treinador aprovar em julho a contratação de Ben Foster, 35, novo titular na atual temporada.

Futebol