PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Surpreendidos, Inter e estafe projetavam Guerrero 'livre' até dezembro

Paolo Guerrero viu liminar obtida na Justiça Comum da Suíca ser revogada na quinta-feira - Elsa/Getty Images
Paolo Guerrero viu liminar obtida na Justiça Comum da Suíca ser revogada na quinta-feira Imagem: Elsa/Getty Images

Jeremias Wernek e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Porto Alegre e no Rio de Janeiro

24/08/2018 04h00

Internacional e o estafe de Paolo Guerrero foram surpreendidos com a decisão do Tribunal Federal da Suíça, que revogou liminar obtida pelo centroavante às vésperas da Copa do Mundo. O clube gaúcho e os agentes projetavam que o peruano permanecesse apto a jogar até dezembro. 'Livre', ele reforçaria o time gaúcho no returno do Brasileirão.

O caso de Guerrero tem julgamento agendado para o final do ano, na Suíça. A audiência na na Justiça Comum da Suíça vai analisar recurso impetrado pela defesa do jogador.

A ideia do Inter era clara. Contar com Guerrero para disputa no Brasileirão, dar apoio no final do ano em disputa judicial na Suíça e aguardar mudanças no caso apenas em 2019.

Além dos dirigentes do clube gaúcho, o estafe do centroavante também foi pego de surpresa. Para os agentes, as chances de revogação da liminar ainda em 2018 eram pequenas. E Guerrero tinha todas as condições de atuar nas 19 rodadas restantes do Brasileiro.

O Internacional, tão logo soube da notícia da liminar revogada, convocou reunião geral no departamento jurídico. Durante horas, o clube procurou informações detalhadas sobre a decisão e também buscou, de diversas formas, confirmação oficial.

A posição da Justiça Suíça frustrou o plano de promover a estreia de Guerrero contra o Palmeiras, no próximo domingo, e ainda derrubou por terra a estratégia de turbinar o time treinado por Odair Hellmann. A equipe está um ponto atrás do São Paulo, líder do Brasileiro, e briga pelo título do campeonato.

O esforço financeiro foi justamente para reforçar as chances de o Internacional conquistar o Campeonato Brasileiro. As ações de marketing, entre elas uso do número 79 na camisa (em alusão ao ano de 1979, quando da última conquista nacional do clube), confirmaram o plano.

Aos 34 anos, Paolo Guerrero assinou contrato com o Internacional até 2021. O documento possui cláusula com opção de prorrogação por mais oito meses - exatamente pela retomada no gancho por doping. O clube gaúcho assegura que no período de suspensão não haverá pagamento integral dos ganhos ao peruano.

Com a punição restabelecida, Guerrero não poderá treinar no CT Parque Gigante. Até o início da próxima semana, o Colorado e o estafe do jogador definirão local para a rotina física.

Futebol